Mulher trans no mundo dos jogos: conheça a gamer Lana Santucci

Lana é apaixonada por games desde os oito anos. Foto: Yuri Ishi Mello

Desde os oito anos, Lana Santucci é apaixonada por jogos. Hoje, com 23 anos, ela compartilha um pouco desse amor com seus seguidores fazendo transmissões para compartilhar um pouco de seus conhecimentos sobre game.

Segundo ela, a ideia de seu canal de games surgiu em 2016, quando ela decidiu fazer com que as pessoas se divertissem com suas jogadas. E isso acontece. Os vídeos de Lana são muito animados e divertidos. Um ótimo entretenimento.

Porém, ser mulher trans no mundo dos games ainda pode ser um pouco desafiador. De acordo com Lana, algumas pessoas insistem em fazer comentários transfóbicos a respeito dela. Mas, ela garante ao blog que o carinho recebido é bem maior.

Leia também:

Segundo Lana, ela consegue ajudar outras pessoas trans e também busca levar conhecimento para as pessoas que ainda têm algum tipo de preconceito em relação à pessoas trans.

Leia a entrevista completa:

Quando e por qual motivo você teve a ideia de abrir seu canal?

Lana Santucci: A ideia inicial do meu canal surgiu em torno de 2016 e, naquela época, [a intenção] era fazer o meu público se divertir com o conteúdo divertido de games. A ideia também era que eu pudesse crescer como figura pública dentro dos games, sendo que eles sempre foram uma paixão minha.

Você sempre foi ligada em games? Conte um pouco da sua relação com os jogos.

Lana: Desde muito pequena eu gosto de jogar jogos. Tudo começou com uns oito anos de idade. Hoje, eu tenho 23. Então pode-se dizer que eu já faço isso há muito tempo.

Qual sua relação com as outras redes sociais? Elas todas se articulam para divulgar o canal ou são independentes?

Lana: A minha relação com as redes sociais, em geral, é bem direta e elas todas se articulam. Eu gosto de passar uma mensagem bem próxima ao meu público e falo de diversos assuntos importantes que estão acontecendo. Principalmente no mundo LGBTQIA+ e na questão de ativismo trans.

Vemos que muitas mulheres gamers estão levantando a voz para casos de assédio no mundo dos jogos. Como é isso com você?

Lana: Por muito tempo da minha vida eu permaneci calada. Quando eu transicionei, eu comecei a lutar e levantar a voz pras pessoas que me assediavam ou que me deixavam mal de alguma maneira com seus comentários. Eu, como figura pública, sofro muito com a questão da transfobia. Já ouvi coisas horríveis e, normalmente, vem por parte do público masculino dos games.

Como mulher trans, essa situação da falta de respeito tem alguma particularidade? Se sim, qual é?

Lana: Especificamente por ser mulher trans eu acabo sendo objetificada e sexualizada na maioria das vezes. E essa é a realidade de boa parte das meninas trans e travestis no Brasil, é um ódio voltado especificamente a este tipo de público. Gostam de deslegitimar a posição da mulher trans ou travesti como mulher e isso é uma das piores coisas, se não a pior. Nós, por muitas vezes, somos chamadas de “armadilhas” como se a nossa existência fosse voltada para “enganar” e “iludir” homens cisgêneros.

Você acha que com seus vídeos e outras postagens você pode estar ajudando outras pessoas trans?

Lana: Eu recebo muitas mensagens de pessoas trans nas minhas redes sociais e sempre tento ajudar como posso. Eu gosto muito de falar sobre o assunto da transição nas redes porque ainda tem muita ignorância por volta dessas questões. Já os meus vídeos, por enquanto, tem um conteúdo mais voltado para a comédia, mas pretendo gravar mais vlogs sobre a minha transição e esses assuntos.

As pessoas te pedem para falar sobre outros temas que não só os games nas suas redes? O que mais elas pedem? Pensa em diversificar os tipos de conteúdo do seu canal?

Lana: Sim, com toda certeza. No canal do YouTube eles pedem muito que eu fale mais sobre mim e a minha experiência com a transição de gênero e vlogs mais pessoais, até porque, normalmente, meus vídeos são só de games, mas isso já é uma mudança que eu já venho pensando há um tempo.

Quer acompanhar o trabalho de Lana? Siga a gamer nas redes sociais:

Instagram: @poisonblonde

Twitter: @poisonblond

Facebook: Lana Santucci

Stream: www.cube.tv/PoisonBlonde

Veja outras notícias do mundo dos Games

Assista a novos trailers de jogos