Mulher vira cobaia e submete-se a testes de laboratório feitos em animais

A estudante inglesa de escultura social Jacqueline Traide, 24, viveu um dia de cobaia e permaneceu exposta por 10 horas em uma loja da Regent Street, uma das ruas mais movimentadas em Londres. A intenção dela e da marca de cosméticos naturais Lush era se posicionar contra os testes aplicados em animais. As informações são do Daily Mail.


Leia também:
Americana é processada por morder seu cachorro
Estudo em ratos revela anticorpos do Alzheimer


Jacqueline foi arrastada por uma corda no pescoço, comeu de forma forçada, recebeu injeções, teve a boca esticada, o cabelo raspado e líquidos foram espirrados em seus olhos. “O irônico é que se fosse um cão na vitrine e nós estivéssemos fazendo todas essas coisas para ele, a polícia e a Sociedade Protetora dos Animais chegariam aqui em minutos”, disse Tmsin Omond, gerente da campanha, ao jornal “Daily Mail”. “Em algum lugar no mundo, esse tipo de coisa está sendo feita a algum animal, às escondidas.

"Precisamos lembrar as pessoas de que esse tipo de coisa ainda acontece”, acrescentou. Ao final dos testes, a estudante voltou para casa com dores reais e revoltada porque animais submetidos aos mesmos procedimentos normalmente morrem horas depois.

Desde 1993, a  Lush luta junto com a Sociedade Humana Internacional contra o uso de animais em testes de laboratório. A venda de cosméticos testados em animais é permitida no Reino Unido.

Assista ao vídeo:


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos