Mulheres acusam dois homens de agressão em restaurante de Copacabana

A Polícia Civil do Rio de Janeiro espera descobrir quem são os dois homens acusados de agredir duas mulheres no Restaurante Sat's, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, na madrugada de sábado para domingo.

Mudanças para ampliar: Duas estações do BRT Transoeste serão transformadas em terminais; entenda

Bilhetagem eletrônica no Rio: novo sistema terá início em abril de 2023 começando pelo BRT

Segundo as vítimas, que preferem não serem identificadas, um dos agressores disse ser policial e deu socos nas duas mulheres. Imagens mostram machucados na cabeça e na perna de uma delas.

As vítimas relataram que a confusão teve início quando um jovem se aproximou da mesa onde estavam os dois suspeitos. Segundo elas, o rapaz pediu uma quentinha aos homens que estavam conversando. Após o pedido, um dos agressores teria humilhado o jovem, que foi defendido por uma das mulheres.

Bebida e direção: Justiça manda soltar dentista que provocou acidente de trânsito embriagada na Zona Sul do Rio

— Eles fizeram uma chacota com a criança pedindo uma comida e pegaram o cigarro dele, amassaram, jogaram no chão e pisaram em cima. Eu falei que eles não podiam fazer isso, que era tudo que ele tinha. E ele me mandou calar a boca, dizendo que era policial, que eu não deveria me meter. Ele me deu um soco e eu caí no chão — relatou.

Após a primeira agressão, a mulher começou a filmar o agressor. Nas imagens, ele aparece irritado andando na direção dela e dando um tapa em seu telefone. A vítima conta ter recebido outro soco.

Operação da PM em Manguinhos deixa cinco baleados e um morto; Leopoldo Bulhões ficou fechada por duas horas

— Eu levantei e falei 'você não pode fazer isso comigo, você não pode fazer isso com ninguém'. E ele me deu outro soco. E eu caí no chão novamente — contou.

No meio da confusão, uma segunda mulher que estava presente no bar deixa o banheiro e tenta defender a amiga.

— Ela tá saindo do banheiro e vê a situação. Ela fala que ele não poderia fazer aquilo, começa a gritar e o amigo dele chega e dá um soco na minha amiga. Ela cai no chão e não consegue se levantar. Tem um corte no rosto, que ela sangra muito — explicou uma das amigas.

Suspeita de feminicídio: Acusado de matar técnica de enfermagem não explica como o crime ocorreu, nem o motivo

Agressor tem passagem na polícia

As mulheres registraram queixa na Delegacia de Copacabana e fizeram exame de corpo de delito para avaliar as possíveis agressões.

Segundo a Polícia Civil, um dos agressores já foi identificado. A investigação aponta que esse homem tem duas passagens por lesão corporal. As autoridades esperam que ele preste depoimento ainda nesta segunda-feira (21).

Os agentes tentam agora identificar o outro homem que aparece nas imagens junto ao agressor. Ele também será ouvido pelos investigadores.