Mulheres atraíam crianças para facção do crime usando brinquedos

Mulheres atraíam crianças para facção criminosa usando dinheiro (Getty)
Mulheres atraíam crianças para facção criminosa usando dinheiro (Getty)

Mulheres acusadas de ‘recrutarem’ pessoas, incluindo crianças, para facção criminosa em troca de brinquedos, foram presas nos estados do Amapá e São Paulo, nesta terça-feira (6).

A prisão de quatro mulheres no Amapá e uma em SP, aconteceu durante a “Operação Medusa” da Polícia Civil (PC), deflagrada para dar cumprimento a 18 mandados judiciais, sendo 9 de prisão preventiva e 9 de busca e apreensão.

Segundo a polícia, as investigações comprovaram que um grupo de 9 mulheres comandavam as ações criminosas praticadas por outras mulheres integrantes de uma facção criminosa no Amapá.

Ainda de acordo com a PC, o grupo que se autodenominava “Final Feminina”, arrecadava valores para a facção, disciplinavam a realização de crimes e recrutavam novos integrantes, inclusive crianças através da distribuição de brinquedos e cestas básicas.

O Delegado que está à frente da operação, Estefano Santos, afirmou que as investigações continuam para localizar e prender outras quatro mulheres foragidas e fazer com que o grupo criminoso seja totalmente desmantelado, dando fim à atração de menores para trabalhar com facções criminosas como ocorreu neste caso.

“Esse grupo de mulheres mandavam em outras mulheres dentro da facção. Elas que comandavam as ações de tráfico de drogas, roubos ou furtos. A operação foi exitosa, pois conseguimos apreender uma série de documentos e mídias eletrônicas que serão analisadas para a continuação das investigações”, disse Estefano.

A Operação Medusa foi coordenada pelo delegado Éstafeno e contou com os agentes da Diretoria de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO) e da Coordenaria de Recursos Especiais (Core). A autoridade policial garantiu que as incursões para localizar e prender as demais foragidas, vão continuar.