2 / 5

Manuela D’Ávila (provável vice de Fernando Haddad caso a candidatura de Lula seja impugnada)

Manuela é deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, filiada ao PCdoB (Partido Comunista do Brasil) e se apresenta no espectro da esquerda. Feminista, prega igualdade entre homens e mulheres, o fim da cultura do estupro e a descriminalização do aborto.
Ela é mãe de Laura e, quando a filha ainda era um bebê, a política fez questão de amamentar a filha durante seu trabalho. Uma imagem da candidata alimentando sua filha durante uma sessão na Comissão de Direitos Humanos rodou o mundo.
A deputada estadual tem forte ligação com o movimento estudantil, berço de sua carreira política. Depois de atuar no segmento, Manuela foi eleita vereadora, deputada federal e concorreu à prefeitura de Porto Alegre por duas vezes.
Contra o impeachment de Dilma Rousseff, Manuela diz que o que chama de “golpe” teve caráter misógino. Segundo ela, é preciso que um governo encabeçado por ela seja democrático e que seja construído um modelo brasileiro de comunismo. (Imagem: Fátima Meira/Futurapress)

Mulheres e corrida presidencial: quais pautas defendem as candidatas à vice?

Por Giorgia Cavicchioli

De acordo com a Justiça Eleitoral, as mulheres representam 52% do eleitorado brasileiro. Na tentativa de arrecadar votos femininos, cinco dos doze candidatos homens à presidência apresentaram vices mulheres nas eleições deste ano. A seguir, você entenderá um pouco mais sobre as pautas que cada uma delas defende.