Mulheres em ministérios: após prometer paridade, Lula entrega 29%

Esplanada dos Ministérios está desenhada com 11 mulheres entre os 37 indicados

Mulheres em ministérios: após prometer paridade, Lula entrega 29%
Mulheres em ministérios: após prometer paridade, Lula entrega 29%
  • A Esplanada dos Ministérios está desenhada com 11 mulheres entre os 37 indicados;

  • Apesar do número representa um recorde na história do país, homens ainda ocupam 71% do total de cargos;

  • Lula foi cobrado anteriormente para anunciar uma equipe ministerial mais diversa.

A Esplanada dos Ministérios está desenhada com 11 mulheres entre os 37 indicados para encabeçar as pastas no terceiro mandato do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Apesar dos anúncios feitos nesta quinta-feira (29) confirmarem um recorde de ministras na história do Brasil, o número ainda deixa a desejar no que diz respeito a paridade entre gêneros à frente dos cargos, uma vez que os homens ainda representam 71% do total.

Recém indicada ao Ministério do Planejamento, a senadora Simone Tebet pediu para o petista assumir o compromisso de ter paridade entre homens e mulheres em ministérios ainda durante a campanha. Lula também já havia sido cobrado anteriormente para anunciar uma equipe ministerial mais diversa.

Se juntam a Tebet na Esplanada dos Ministério: Ana Moser (Esportes), Anielle Franco (Igualdade Racial), Cida Gonçalves (Mulheres), Daniela do Waguinho (Turismo), Esther Dweck (Gestão e Inovação), Luciana Santos (Ciência, Tecnologia e Inovações), Marina Silva (Meio Ambiente), Margareth Menezes (Cultura), Nísia Trindade (Saúde), Sonia Guajajara (Povos Indígenas)

Ainda que não tenha alcançado a paridade, o terceiro mandato de Lula será o governo que largará com o maior número de ministras na história. O presidente eleito também comunicou que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil serão presididos por mulheres.

Durante os novos anúncios para equipe ministerial nesta quinta-feira no CCBB, em Brasília, Lula se mostrou feliz com a indicação de Sonia Guajajara como futura ministra dos Povos Originários.

“Estou feliz porque nunca antes na história do Brasil houve tantas mulheres ministras. Nunca antes tivemos uma indígena ministra dos povos indígenas”, disse, se referindo a Guajajara.