Mulheres no comando: Sheilla fala sobre o seu futuro no Minas e a chance de abrir caminhos para as mulheres no esporte

·2 min de leitura
Multicampeã será embaixadora de programa pioneiro do Clube (Foto: Divulgação/Minas Tênis Clube)

Em apresentação do time feminino do Minas, realizada há algumas semanas no salão de festas do clube, no centro da capital mineira, atletas e comissão técnica falaram sobre a temporada. Uma das grandes novidades foi o anúncio da ex-jogadora Sheilla Castro, que assumirá nova função técnica. A bicampeã olímpica aproveitou para contar em detalhes, o novo momento na carreira, em especial, atuando em um setor conhecido majoritariamente por homens.

A jogadora que é cria do Minas falou como surgiu a oportunidade de atuar na parte técnica, visando a gestão e formação de atletas. “É um desafio novo estar à frente desse projeto, ser embaixadora desse projeto no Minas. Dar mais visibilidade, inspirar mais mulheres a cargos de gestão, de liderança, mesmo o Minas sendo pioneiro nisso. Estou muito feliz pela confiança que o clube tem em mim, as portas que comissão abriu para mim”, destaca.

Leia também:

O clube de Belo Horizonte lançou recentemente um programa de Trainee visando a formação de ex-atletas, em cargos de gestão, liderança.

Futuro como técnica

Sobre o futuro, Sheilla ainda não definiu se atuará a beira da quadra ou simplesmente na formação, gestão de categorias de base. “É difícil falar ainda, estou começando. O Minas me deixou a vontade para eu conhecer um pouco de todas áreas. Eu acho que o Nicola é um dos treinadores mais estudiosos do mundo. Estou aprendendo muito com ele. É cedo para falar se eu quero ser treinadora. Com certeza, estou aprendendo bastante”, complementa sobre os bastidores, enfatizando a excelência do trabalho de Nicola Nigro, técnico da equipe feminina mineira.

A ex-jogadora aproveitou para dar o pitaco sobre a pergunta que todo torcedor de vôlei quer saber: Minas é o clube a ser batido? “Pelos títulos dos últimos anos é o adversário a ser batido. Lógico que todo ano que passa é um time novo, mas não dá para tirar o favoritismo do Minas. Tem outras equipes que vão disputar com a gente os principais títulos. Com as conquistas, cada vez mais pressão, mas eu acredito que temos jogadoras, comissão técnica e estrutura para aguentar essa pressão”, finaliza.

Trajetória

Pelo tradicional clube mineiro conquistou a Superliga, quando estreou pela equipe principal minastenista. Saiu, disputou diversas Ligas, dentre elas: campeonato turco, italiano e diversos clubes brasileiros, antes de seu retorno ao clube.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos