Mulheres que tiveram fotos usadas indevidamente questionam governo da Espanha: 'Nem pediram desculpas'

Ilustração de mulheres na praia, com dizeres em espanhol: O verão também é nosso
Três britânicas se manifestaram afirmando que suas imagens foram usadas sem consentimento em campanha do Ministério da Igualdade da Espanha

Três mulheres britânicas já se manifestaram acusando uma campanha do governo espanhol de usar suas imagens sem consentimento.

A campanha, do Instituto da Mulher, parte do Ministério da Igualdade da Espanha, traz uma ilustração de cinco mulheres com corpos diversos. A proposta era incentivar as mulheres a desfrutarem da praia sem que a aparência fosse uma preocupação. Entretanto, começaram a surgir acusações de que a ilustração era baseada em imagens de mulheres reais.

O governo espanhol afirmou à Radio 1 Newsbeat, da BBC, que "em nenhum momento estava ciente de que as mulheres nas imagens eram pessoas reais".

"O trabalho contratado foi de ilustração sem o uso de modelos."

"Portanto, o Instituto da Mulher, como parte prejudicada, colocou-se em contato com as modelos para esclarecer a situação e está esperando que a ilustradora e as modelos cheguem a um acordo."

Sian Green-Lord pegando sol perto de piscina, segurando uma bebida e sorrindo, em pose bastante parecida com ilustração da campanha do governo espanhol
'Precisamos levar isso o mais longe que pudermos', diz Sian Green-Lord, cuja perna protética não foi mantida na ilustração

Sian Green-Lord, cuja perna protética foi retirada da imagem, diz que "não acredita de jeito nenhum" na resposta do governo espanhol.

"Eles nem pediram desculpas — é cômico. Precisamos levar isso o mais longe que pudermos. Eu só quero justiça para todas nós, porque foi algo que causou muito transtorno."

"Estou sem palavras. É realmente brutal, não consigo acreditar que eles estão piorando a situação."

Nyome Nicholas-Williams, que denuncia também ter tido sua foto usada, afirmou que "parece que eles estão apenas transferindo a culpa para a ilustradora, mas foi o governo que a contratou".

"A campanha poderia ter sido ótima se eles nos convidassem para a Espanha, fizessem a sessão de fotos e nos pagassem, mas eles decidiram colocar minha cabeça em outra pessoa e apagar a perna de Sian", completa Nyome, que mora em Londres.

Sian e Nyome não foram as únicas mulheres a se manifestarem sobre o uso das imagens na campanha.

Colagem com ilustração e foto de Nyome
Nyome diz que governo espanhol está transferindo a culpa para ilustradora

Juliet FitzPatrick, que fez mastectomia durante o tratamento para câncer, do qual já se curou, acha que um desenho presente na campanha foi inspirado nela — mas, na ilustração, uma mulher aparece com apenas um seio, enquanto Juliet fez o procedimento em ambas as mamas.

As leis de direitos autorais no Reino Unido e na Espanha dizem que uma foto, ou parte dela, não pode ser usada ou copiada sem a permissão do proprietário.

O governo espanhol pediu desculpas a Juliet, mas não a Nyome ou Sian.

Mas a criadora da campanha, que se apresenta como Arte Mapache, emitiu um pedido de desculpas.

"Dada a — justificada — polêmica sobre os direitos de imagem na ilustração, decidi que a melhor maneira de reparar os danos que podem ter resultado de minhas ações é dividir o dinheiro que recebi pelo trabalho e dar partes iguais para as pessoas no pôster."

- Este texto foi publicado em https://www.bbc.com/portuguese/geral-62415998

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos