Mulheres são agredidas por bolsonaristas após carreata em SP; veja vídeo

Acampamentos bolsonaristas estão sendo desmontados pelo Brasil
Acampamentos bolsonaristas estão sendo desmontados pelo Brasil

Duas mulheres foram agredidas por participantes de uma carreata bolsonarista em São Paulo na tarde desta sexta-feira. Débora Alba, de 39 anos, conta que estava voltando de supermercado em frente a sua casa, no bairro de Higienópolis, quando viu um grupo tentando arrancar uma bandeira do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) das mãos de uma senhora idosa. As informações são do jornal O Globo

— Ela estava com a bandeira na calçada. Eu vi quatro pessoas empurrando-a, tentando derrubar ela. É uma senhora de muita idade, que podia ser minha avó. Uma cena dessa a gente não consegue ficar quieta — diz Alba.

Os bolsonaristas teriam xingado com ofensas racistas um homem negro que se dispôs a intervir na agressão junto com Débora e outro grupo de senhoras idosas, segundo o relato. Após a intervenção, os agressores se dispersaram.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Mas, em seguida, conforme mostram imagens do local, um participante da carreata desce de um dos carros e avança sobre Débora.

— Um senhor desceu do carro e veio direto na minha direção para me agredir. O que eu vi foi ele colocando a mão no bolso, não sabia que ele ia tirar dali. — diz a mulher.

Na gravação, feita por um morador da vizinhança, é possível ver a presença de policiais na cena. Segundo Débora, eles liberaram o homem, que não foi identificado, que voltou ao carro e seguiu caminho na carreata.

— O meu marido, que é um homem negro, assistiu a cena da sacada e desceu correndo Ele que foi convidado a ir à delegacia depor. — relata a mulher, que diz ter feito um boletim de ocorrência no local e classifica a conduta dos policiais como omissa. — Estamos reunindo imagens para ir até a delegacia.

A PM de São Paulo se manifestou em nota sobre o caso:

"A Polícia Militar esclarece que foi acionada para atender a uma ocorrência de agressão, na tarde da última sexta-feira (6), na Avenida Angélica, região central da Capital. No endereço indicado, uma equipe constatou que houve desentendimento entre as partes, mas a situação teria sido resolvida. Por este motivo, não houve detenções. Até o momento, o caso não foi registrado pela Polícia Civil. No entanto, a instituição está à disposição da vítima para formalização do BO".

Bolsonaristas fazem manifestação perto do Aeroporto de Congonhas

Na noite desta sexta-feira, militantes bolsonaristas fizeram manifestação na avenida Washington Luís, ao lado do Aeroporto de Congonhas, zona sul de São Paulo, bloqueando parte da via, não reconhecendo o resultado das urnas da eleição que deu a vitória a Lula e dizendo que iriam 'parar os voos' do Aeroporto. Nada de anormal foi detectado em pousos e decolagens no período

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ontem, também na capital paulista, apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro também realizaram protestos nas regiões das avenidas Paulista e Angélica, na região central.

Após atravessarem a Avenida Angélica, a carreata bolsonarista seguiu em direção aos arredores do Aeroporto de Congonhas. Em vídeos, alguns bolsonaristas chegam a alegar que o local está totalmente está ocupado. Sites especializados em monitorar pousos e decolagens, contudo, não apresentaram qualquer variação nas escalas desta sexta-feira.

O protesto teve início na Avenida 23 de Maio e comprometeu o trânsito na região. Vídeo do evento mostram manifestantes gritando palavras de ordem, como "nossa bandeira jamais será vermelha". Alguns que passavam pelo local, em desacordo, gritavam o nome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Bolsonaristas também usavam sinalizadores nas cores verde e amarelo.