Mulheres de Srebrenica homenageadas 27 anos depois do massacre

Passaram 27 anos desde o massacre de Srebrenica. Oito mil homens, de adolescentes a idosos, da cidade da Bósnia Herzegovina, foram levados à força das próprias casas e assassinados por serem muçulmanos.

O massacre foi descrito pelas Nações Unidas como um dos piores crimes cometidos em solo europeu depois da Segunda Guerra Mundial.

As mulheres da cidade perderam maridos, filhos e pais. Vinte e sete anos depois, foram reconhecidas numa conferência internacional: "Heroínas de Srebrenica".

Munira Subasic, presidente da associação Mães de Srebrenica, diz que "as mulheres de todo o mundo" têm de aprender com as mulheres de Srebrenica, que "carregaram o maior fardo deste mundo, a lutar por justiça, durante e depois da guerra, com um sentimento de vingança".

O massacre durou 10 dias. A cidade foi invadida por forças sérvias nos últimos meses da guerra da Bósnia que aconteceu de 1992 a 1995.

O exército tinha ordens para eliminar parte da população da Bósnia. O Tribunal Penal Internacional considerou, mais tarde, que as forças sérvias cometerem genocídio, termo negado pelo lado sérvio até aos dias de hoje.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos