Mumuzinho fala de 'Todas as flores', comenta fase mulherengo, elogia ex-mulheres e relembra separação: 'Demos chance um ao outro'

Ator, cantor e dono de uma empresa de agenciamento artístico, Mumuzinho costuma dar um conselho aos talentos que garimpa para lançar no mercado: "Não existe vitória sem luta". Foi com essa frase em mente que ele galgou degraus até conquistar o primeiro papel em novelas, um sonho antigo. Em "Todas as flores", do Globoplay, interpreta o malandro Joca.

— Essa é a melhor frase que posso falar. Tem que lutar com humildade e pé no chão. E entender que às vezes as coisas não acontecem no nosso tempo, mas no de Deus. Estar em cena sempre foi minha vida. Eu comecei atuando, fazendo participações e figuração, em "Cidade de Deus" e "Cidade dos homens", por exemplo. Depois é que virei cantor. Quando fiz "Trapalhões" (o remake da Globo, em 2017), vi que queria mais. Quando surgiu a oportunidade de fazer uma novela e ainda com a Regina Casé, minha mãezona, a mulher que me levou para a TV, fiquei muito feliz — diz ele.

Entrevista: Leticia Colin fala de cenas de sexo com Caio Castro em 'Todas as flores: 'A gente tem muita intimidade'

Covid: Nicolas Prattes e mais atores testam positivo e se afastam das gravações

Ao contrário de seu intérprete, Joca tenta, a todo custo, ter sucesso sem grandes esforços. Explora e humilha Mauritânia (Thalita Carauta), com quem mantém um relacionamento conturbado. Nos próximos capítulos, ele se aproximará cada vez mais da irmã dela, Chininha (Micheli Machado), fingindo ser um diretor renomado que busca novos artistas:

— Ele é machista, interesseiro. Tem artimanhas para se dar bem. As mulheres às vezes sonham encontrar uma pessoa legal e acabam se deparando com homens que não somam na vida. Joca é esse tipo de cara. Ele precisa levar um bom corretivo para entender que a vida não é assim. Recebo mensagens de mulheres falando que conheceram homens como ele, que são usadas. Tem gente até que não conseguia enxergar e, vendo a novela, percebe como isso está claro.

Apesar das críticas às atitudes condenáveis do personagem, Mumuzinho admite que, em certo aspecto, tem um ponto de contato com Joca:

— Já fui um pouco Joca, mas não me orgulho disso, não. Mas não fui como ele. Acho que fui um pouco mulherengo. Já tive meu momento. Mas a gente amadurece. Já tive meus amores e meus erros. A gente acaba percebendo e vai melhorando.

Marido de Thainá Fernandes, com quem se casou em 2019, Mumuzinho tem três filhos de outras relações, com Mirella, mãe de Hanry e Kaik, e Marize, que deu à luz João. Ele diz que sente culpa por não estar tão presente na vida dos meninos por conta do trabalho e elogia as ex.

— Elas são pessoas maravilhosas. Graças a Deus consigo fazer minhas coisas porque eles têm mães que educam bem — afirma Mumuzinho, que ano que vem vai diminuir a quantidade de show para uma média de 12 por mês com o objetivo de ficar mais perto da família, viajar e se dedicar a projetos como ator.

Mumuzinho chegou a se separar de Thainá no ano passado. Eles voltaram a aparecer juntos cerca de um mês depois do anúncio do fim do relacionamento:

— A relação tem seus momentos de dificuldades e atribulações, mas a gente tem que botar o pé no chão. Eu passei a priorizar outras coisas, o trabalho (na época da separação)... Eu revi tudo isso. Graças a Deus demos uma chance um ao outro. Estamos bem.