Mumuzinho lança EP, relembra contato com Karol Conká no ‘Esquenta!’ e fala sobre a cantora no ‘BBB21’: ‘Tirou meu bom humor’

Naiara Andrade
·3 minuto de leitura

Mumuzinho garante: nunca deixou de ser um homem romântico. No entanto, nos últimos anos, estava se empenhando em lançamentos com uma inclinação mais motivacional.

— Eu vinha embalando minha carreira com músicas mais pra cima, tipo “Eu mereço ser feliz” e “Mantra”, na intenção de motivar os brasileiros. Mas agora estou de volta com um disco que fala essencialmente de amor — explica o cantor sobre o novo EP, “Playlist”, com sete canções.

Na última sexta-feira, o clipe de “Um homem apaixonado”, com o Sorriso Maroto, foi lançado. E o artista ainda promete apresentar um novo vídeo a cada semana, das músicas “Crise”, “1%”, “Flechada certeira”, “Até depois do fim” e “VAR”.

Além do amor, o humor, marca pessoal desse artista que é cria de Realengo, é ingrediente do álbum. A faixa-título, cujo clipe já bateu quatro milhões de visualizações, tem Mumuzinho caracterizado como o casal Luzinete e Luzinaldo, à moda Eddie Murphy no filme “Norbit” (2007). Para a gravação, ele ainda selecionou três sósias seus pelas redes sociais e convidou a influenciadora digital Camilla de Lucas, atual participante do “Big Brother Brasil 21”.

— “Playlist” é uma sofrência com humor. Tem a ver comigo e também com a Camilla. Ela é o Mumuzinho mulher, irreverente e sincera — analisa ele, que vibra pela sister de Nova Iguaçu no programa: — Ela está se posicionando muito bem. Não dá para saber se vai até a final, mas ela tem a minha torcida.

E por falar em “BBB 21”... Segundo Mumuzinho, “só fome e falta de humildade” tiram a sua alegria. E ele confessa que Karol Conká conseguiu essa façanha. No último dia 1º, nas redes sociais, o sambista se referiu a ela usando um emoji de cobra.

— Eu a conheci no “Esquenta!”, a gente não teve nenhuma aproximação. O que eu publiquei foi a minha percepção dela, que é muito “eu sou, eu faço”. Quis demonstrar a minha indignação. Ela tirou o meu bom humor — afirma ele, saindo em defesa de Lucas Penteado, que desistiu do jogo: — É um menino do bem, que passou por traumas. Ele deu uma viajada, mas não merecia ouvir tanta ofensa e ser ignorado.

O artista virou fiel telespectador do “BBB 21” por tudo o que está sendo debatido na casa:

— Não tem como fechar os olhos para o que está acontecerem lá. Não consigo acreditar que a Karol seja assim. O jeito dela não condiz com o do brasileiro, que é humilde e guerreiro.

Integrante de outro reality da Globo, o “The voice+”, o técnico também foi alvo de críticas nas redes sociais, ao lado de Ludmilla, Claudia Leitte e Daniel. É que eles desconheciam as trajetórias de alguns dos candidatos veteranos que já fizeram sucesso na música:

— Nós não somos obrigados a saber a história de cada participante, não é vergonha nenhuma. Até porque eu nasci em 1983, tem pessoas ali que se projetaram na década de 70. Estamos ali para incentivá-los a voltar à carreira, a crescer, motivar a vida profissional deles. Queremos nos divertir e trocar informações. Assim como eu não sei tudo, também existem pessoas que não conhecem o meu som.

Repertório pessoal

‘Playlist’

“‘Deixa tudo como tá’, do Thiaguinho; ‘Refém’, do Dilsinho; ‘Já tentei’, da Ludmilla com o Grupo Vou Pro Sereno; ‘Rita’, do Tierry; ‘Presentinho’, do Guga Nandes; ‘Marília Mendonça’, do MC Bin”.

‘Um cara apaixonado’

“Eu me apaixono por pessoas simples, de energia boa”.

‘Crise’

“A pior da minha vida foi essa pandemia. Mexeu com o financeiro e com o psicológico”.

‘1%’

“É só o que eu tenho de mau humor. Os outros 99% são só alegria!”.

‘Flechada certeira’

“Quando eu conheci a minha mulher, eu mesmo fui o cupido. Falei, resolvi, fiz tudo”.

‘Até depois do fim’

“Eu acredito em amor pra sempre, além da vida”.

‘VAR’

“Só acredito vendo. Não julgo ninguém sem ter certeza”.