Mundial de Clubes: Bayern mira feito que apenas Barcelona de Guardiola conseguiu

Marcello Neves
·3 minuto de leitura

A discussão se as equipes europeias dão a devida importância ao Mundial de Clubes sempre vem à tona quando o torneio se inicia. A resposta, de modo geral, se margeia em “eles dão valor, mas não tanto quanto os sul-americanos”. Aceitável. Mas a edição deste ano tem gosto especial para o Bayern de Munique, representante do Velho Continente: se vencer, conquistará a sêxtupla coroa — nome dado aos seis títulos que podem ser alcançados no mesmo ciclo — e igualar o feito que apenas o Barcelona de Pep Guardiola e Lionel Messi em 2008/2009 conseguiu.

O Bayern enfrenta o Tigres, do México às 15h (de Brasília), pela decisão do Mundial de Clubes — o SporTV transmite. Não será um título inédito para os alemães, já que venceram em 2013, mas é a primeira vez que chega à final tendo faturado os cinco torneios anteriores: o Campeonato Alemão, a Copa da Alemanha, a Liga dos Campeões, e as Supercopas Europeia e Alemã. Mesmo com o futebol tendo se globalizado em cima das superpotências (como o Bayern) e desnivelando os torneios internacionais, tal feito é tão difícil que apenas uma equipe na história conseguiu.

Os alemães até chegaram perto em 2013, mas antes mesmo de desembarcar nos Emirados Árabes para a disputa do Mundial, já haviam sido derrotados na Supercopa da Alemanha pelo pelo Borussia Dortmund. Outras cinco equipes bateram na trave e se contentaram com cinco dos seis títulos possíveis: o Al-Ahly, do Egito (2006), a Inter de Milão, da Itália (2010), o Barcelona (2011 e 2015) e o Real Madrid, da Espanha (2017).

Curiosamente, a maior dificuldade em atingir este feito não está na suposta falta de interesse no Mundial de Clubes, mas tropeços nas ligas continentais. Tendo superado este desafio, o técnico Hansi-Flick trata o Tigres com o máximo respeito.

— Os vi na semifinal e fiquei muito impressionado com a forma como jogaram. Têm um jogo muito intenso e muita qualidade pelos lados. Vão exigir muito de nós e será uma partida difícil. Temos uma equipe que analisou o Tigres cuidadosamente e estamos tão preparados como para qualquer outro duelo. Estamos felizes por chegar na final e teremos a melhor equipe para disputar — declarou.

Flick tem um desfalque confirmado para a decisão. O zagueiro Jérôme Boateng foi liberado para voltar à Alemanha após o anúncio da morte de sua ex-namorada, Kasia Lenhardt. A modelo de 25 anos, foi encontrada morta na última terça-feira em um apartamento na capital Berlim. Segundo a imprensa local, a causa ainda está sendo investigada pela polícia, que não trata ainda o ocorrido como suspeita de assassinato.

Tigres já fez história

O Tigres está quebrando barreiras neste Mundial. Após ser o primeiro mexicano a ser finalista, tenta ser o primeiro a ser campeão. Mas só de estar na final já é algo comemorado pelo lado financeiro. O Tigres já embolsou US$ 5 milhões (R$ 26.8 milhões) e, caso fature a taça, o valor da premiação pode chegar a US$ 6 milhões (R$ 32.6 milhões). Para entender o salto nas finanças, quando conquistou a Concachampions, o Tigres levou para casa US$ 500 mil (R$ 2.6 milhões).

— Nós estamos representando a nossa instituição, mas se alguém quiser se unir ao nosso clube será bem-vindo. Nós queremos vibração e que a gente possa alcançar o objetivo final. Deixo claro que estamos representando o futebol do México, pois somos um time o futebol mexicano — declarou o técnico do Tigres, Tuca Ferretti.