Mundial de Clubes: Sul-americanos só foram a seis das últimas 11 finais

O Globo
·2 minuto de leitura

A vitória do Tigres por 1 a 0 sobre o Palmeiras entra para a história do Mundial de Clubes. Pela primeira vez desde que o torneio passou a ter o formato atual, em 2005, uma equipe mexicana e da Concacaf participará da decisão. É mais uma confederação a atingir este feito, já atingido por asiáticos, africanos, além de europeus e sul-americanos. Para estes últimos, contudo, a globalização da final do campeonato traz uma reflexão e um alerta.

Em todo o século XX, europeus e sul-americanos foram considerados as principais forças do esporte. Seja entre seleções, seja entre times. Nos primeiros anos do Mundial de Clubes da Fifa, o título sempre esteve entre um e outro. A partir de 2010, quando o Mazembe, do Congo, foi à final, o cenário mudou. A eliminação do Internacional naquele ano não foi um fato isolado. Os membros da Conmebol já não conseguem mais manter a velha polarização de pé.

De 2010 até 2020, são 11 edições do torneio. Enquanto os clubes da Uefa estiveram presentes em todas as decisões, os sul-americanos foram a seis. Além do Tigres, finalista da mais recente, e do Mazembe, primeiro a quebrar esta tradição, dois asiáticos (Kashima Antlers, em 2016, e Al Ain, em 2018) e mais um africano (Raja Casablanca, em 2013) venceram as semifinais. Confira, abaixo, a lista de finalistas e campeões em cada edição desde 2005.

As finais do Mundial de Clubes

2005 - São Paulo 1 x 0 Liverpool2006 - Internacional 1 x 0 Barcelona2007 - Milan 4 x 2 Boca Juniors2008 - Manchester United 1 x 0 LDU2009 - Barcelona 2 x 1 Estudiantes2010 - Inter de Milão 3 x 0 Mazembe2011 - Barcelona 4 x 0 Santos2012 - Corinthians 1 x 0 Chelsea2013 - Bayern de Munique 2 x 0 Raja Casablanca2014 - Real Madrid 2 x 0 San Lorenzo2015 - Barcelona 3 x 0 River Plate2016 - Real Madrid 4 x 2 Kashima Antlers2017 - Real Madrid 1 x 0 Grêmio2018 - Real Madrid 4 x 1 Al Ain2019 - Liverpool 1 x 0 Flamengo2020 - Tigres x Bayern de Munique ou Al Ahly

Entre as nacionalidades, os espanhóis detém hegemonia absoluta. São oito presenças em finais, todas com a dupla Real Madrid e Barcelona. Os brasileiros perderam a oportunidade de encostar. Eles vem em segundo, com seis participações. Argentinos e italianos, com quatro, completam o pódio.

Países com maior presença nas finais do Mundial

Espanha - 8Brasil - 6Argentina e Inglaterra - 4Itália - 2Alemanha, Emirados Árabes, Equador, Congo, Marrocos, Japão e México - 1