Mundial do Qatar arranca no domingo

Este domingo começa o Mundial de Futebol no Qatar.

Trinta e duas seleções vão enfrentar-se em 64 jogos, distribuídos ao longo do próximo mês.

A expetativa é grande, mas também o é a polémica em torno do Qatar 2022. No entanto, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, defende a mensagem positiva do mundial:

"Não devemos esquecer a mensagem-chave, sobre a unidade, sobre o futebol unindo o mundo, unindo as pessoas, construindo pontes. Todos os que gostam de futebol, que fazem parte de uma equipa, que fazem parte de grupos de adeptos, que fazem parte das claques, sabem que o futebol tem esta magia única de unir as pessoas."

O Qatar 2022 será também o último mundial para grandes estrelas do futebol, como Cristiano Ronaldo e Lionel Messi.

Para o francês Kylian Mbappé, o objetivo é outro: tentar igualar o feito de Pelé, que se tornou campeão do mundo com o Brasil nas suas duas primeiras participações em mundiais.

Com adeptos a encher as ruas vindos dos quatro cantos do mundo, todos os olhares se concentram agora em Doha, onde a seleção do Qatar vai abrir a competição num jogo contra o Equador.

Sam Ashoo, euronews: "A excitação é grande em Doha, que está à espera disto há mais de doze anos. A população do Qatar é apenas de cerca de 2 milhões de pessoas. Um número agora muito mais elevado e ainda não se deu o pontapé de saída. Aqui, na capital do país, muitos dos edifícios estão cobertos com bandeiras dos países participantes e também com murais de jogadores. Tornou-se de certa forma numa obra de arte futebolística aqui em Doha. Mais de 3500 milhões de pessoas assistiram ao Campeonato do Mundo na Rússia, em 2018. O presidente da FIFA, Gianni Infantino, disse ainda no mês passado que esperava mais de 1.500 milhões de pessoas para assistir a este mundial, aqui no Qatar. Há uma grande expetativa para ver se a mais pequena nação a receber um mundial consegue realmente fazê-lo."