Mundo "se unirá" para funeral da rainha Elizabeth; milhares fazem fila de quilômetros

Príncipe William acena para multidão

Por Angus MacSwan e Humza Jilani

LONDRES (Reuters) - O funeral de Estado da rainha Elizabeth do Reino Unido unirá pessoas de todo o mundo, disse nesta quinta-feira a autoridade responsável pelo enorme evento cerimonial, enquanto pessoas de todas as esferas permaneciam na fila por horas para passar pelo caixão da falecida monarca.

Líderes mundiais se reunirão na segunda-feira para o funeral de Elizabeth, rainha por 70 anos, cuja estatura global era quase sem igual.

O caixão da rainha está atualmente no antigo Westminster Hall de Londres, onde dezenas de milhares estão esperando pacientemente na fila para prestar suas últimas homenagens à monarca mais longeva do Reino Unido.

"Esses eventos estão ocorrendo no contexto de uma onda de tristeza, afeto e gratidão pelas pessoas no Reino Unido, na Commonwealth e em todo o mundo", disse o conde marechal Edward Fitzalan-Howard, duque de Norfolk, encarregado de ocasiões de Estado.

"A rainha ocupou uma posição única e eterna em todas as nossas vidas. É nosso objetivo e acreditamos que o funeral de Estado e os eventos dos próximos dias unirão as pessoas em todo o mundo", afirmou a repórteres.

Enquanto ele falava, a fila para ver o caixão da rainha se estendia por mais de 6,5 quilômetros ao longo da margem sul do rio Tâmisa, cruzando a Ponte Lambeth próxima de Westminster Hall.

O rei Charles, que voltou para sua casa em Highgrove, no sul da Inglaterra, após uma agitada agenda de eventos desde a morte de Elizabeth, aos 96 anos, na quinta-feira passada, e seus três irmãos, a princesa Anne e os príncipes Andrew e Edward, farão uma vigília silenciosa na sexta-feira à noite.

Autoridades britânicas esperam que cerca de 750 mil pessoas visitem o caixão da rainha até 6h30 (no horário local) de segunda-feira.

Alguns vieram do exterior, deixando as malas em hotéis próximos para se juntar aos que se deslocavam lentamente pelo Westminster Hall. Entre os presentes estavam a ex-primeira-ministra Theresa May e seu marido Philip, que curvaram suas cabeças diante do caixão enquanto passavam com membros do público.

Amy Tsai, de 24 anos, disse que viajou de Taiwan em maio e participou das comemorações do jubileu da rainha em junho na capital escocesa, Edimburgo.

"Agora estou esperando na fila para vê-la. Estou chocada", afirmou ela.

(Reportagem de Farouq Suleiman, Alistair Smout, Angus MacSwan, Michael Holden, William James, Kate Holton, Kylie MacLellan e Elizabeth Piper)