Município paranaense emite alerta por elevada incidência de escorpiões

·1 min de leitura

RIO — A incidência elevada de escorpiões em Campo Mourão, no Paraná, fez a administração local emitir um alerta. Um levantamento feito na cidade encontrou os animais em mais de 100 quarteirões.

O mais preocupante é que os escorpiões verificados pela Vigilância Sanitária, da Secretaria Municipal de Saúde, são da espécie amarela. Trata-se da mais perigosa, cuja picada pode afetar o sistema nervoso e levar à morte.

— No último levantamento contabilizamos mais de 100 quadras, onde foram encontrados escorpiões em diversos imóveis. Fazemos esse trabalho de acompanhamento há 20 anos e ultimamente temos visto incidência onde não tinha — disse a coordenadora de campo do Setor de Endemias, Marinalva Ferreira da Luz.

O aumento da incidência de escorpiões pode estar relacionada ao desequilíbrio ambiental. De acordo com a Prefeitura de Campo Mourão, é preciso que os moradores não eliminem sapos, lagartixas, corujas e outras aves, que são os predadores dos escorpiões.

Outra orientação foi para que os imóveis sejam mantidos limpos, sem acumular entulhos. Os escorpiões ficam abrigados em terrenos baldios com mato e lixo doméstico, embaixo de pedras, tijolos, telhas, montes de lenha. Na natureza, eles vivem sob cascas de árvores, cupinzeiros, barrancos e troncos apodrecidos.

— Uma vez no ambiente, é praticamente impossível erradicar o escorpião, pois ele tem uma carapaça que protege contra veneno. Por isso as medidas preventivas são muito importantes — afirmou Marinalva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos