Muro de casa onde morou atirador de Realengo amanhece pichado

Rio de Janeiro - O muro da casa onde o atirador Wellington de Oliveira morou com a família há alguns anos, em Realengo, na zona oeste do Rio, amanheceu pichado hoje (9). No muro branco há várias palavras como “covarde” e “assassino”.

Veja também:
Presa dupla suspeita de vender arma a atirador no Rio
Lula diz que massacre no Rio foi ato de psicopata
Dez crianças permanecem internadas em seis hospitais


Na última quinta-feira (7), Wellington entrou na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, e atirou contra estudantes, matando 12 crianças e jovens. O atirador era ex-aluno da escola, onde estudou entre os anos de 1999 e 2002.

O técnico administrativo Eduardo Magalhães é ex-colega do atirador com quem estudou durante três anos na Escola Tasso da Silveira. Ele conta que Wellington era tímido e que sofreu muita pressão por parte de outros alunos na época. “Mas jamais imaginaria que ele pudesse fazer isso. Fiquei muito surpreso. Isso surpreendeu todo mundo que conviveu com ele. Ainda estou tentando entender [por que ele assassinou as crianças]”, disse à TV Brasil.

Quando cometeu o massacre na escola, Wellington de Oliveira já não morava mais em Realengo. Ele tinha se mudado para uma casa em Sepetiba, também na zona oeste, onde morava sozinho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos