Musa da Copa de 2014 e ex de Neymar, Patricia Jordane sai de cena, mantém rede social só para família e diz adeus à fama

A Copa do Mundo de 2014 teve uma musa quase involuntária. Após ser alçada à fama por conta de um breve affair com Neymar, meses antes do Mundial, Patricia Jordane viu a fama chegar de uma hora para a outra e foi parar na capa da "Playboy". Tudo isso para ela, no entanto, virou passado. A modelo, prestes a fazer 30 anos em janeiro do ano que vem, não quer mais saber do mundo das celebridades e disse adeus à fama.

Procurada pelo Extra, Patricia não demonstrou interesse em dar entrevistas. "Não quero mais fazer parte disso", disse através de sua assessoria.

Hoje, a mineira está casada, vive em Miami e é empresária no ramo de moda e entretenimento. Em 2017, ela foi definitivamente para os Estados Unidos após um ano de namoro com o produtor Richard Raymond e se casou com ele, sem que ninguém soubesse.

"Fui muito por causa dele, porque já nos conhecíamos e começamos a namorar um ano antes. Ninguém soube disso, só minha família e poucos amigos. Preferi não divulgar na época”, revelou ela, há dois anos.

O momento atual em pouco lembra tudo o que ela viveu há oito anos anos. Quase que a primeira das 17 capas da “Playboy” no mundo que viriam depois da que fez no Brasil foi embargada. Ao saber que seu nome era parte do marketing da publicação, Neymar acionou seus advogados e conseguiu na Justiça que a revista não fosse para as bancas, o que foi derrubado por uma liminar, e Patrícia apareceu em duas fotos diferentes e também na versão alemã. “Eu assinei com meu nome, seria só a musa da Copa, e depois o diretor decidiu que o nome do Neymar seria um gancho. Se eu soubesse que usariam o nome dele, nem teria assinado com a revista. Aqui nos EUA nunca lembraram disso. Nunca sobrevivi do nome dele”, garante ela, que acredita ter feito muitas “inimigas” na época: “Teve atriz que se mordeu porque eu virei a bola da vez, virei a musa da Copa no mundo todo e fui parar em 17 capas”.

Não foi uma época só de glórias. Pelo contrário. “Realmente não estava preparada para tudo aquilo e não tinha noção da proporção do que estava acontecendo. Vivi no meu mundinho e até sumi, me magoei muito com tudo o que lia”, admite ela, que jura não ter se aproveitado do jogador: “Eu tinha apoio dos meus pais, que sempre me deram uma vida boa, sempre fui modelo. De todas as ex do Neymar, fui a única que sempre o defendeu e, devido a isso, virei a ‘maria chuteira’, mas o tempo colocou tudo no seu devido lugar. Hoje, sou empresária, casada e tenho minha produtora e minha marca. Vajo o mundo, moro nm dos melhores lugares em Miami e sou a Patrícia Jordane, modelo e influenciadora. Minha vida virou de cabeça para cima e não para baixo como muitos achavam”.