Museu da Língua Portuguesa abre exposição sobre migrações no século 21

·1 min de leitura

O Museu da Língua Portuguesa, na capital paulista, inaugura amanhã (12) a exposição Sonhei em Português!, que busca discutir a migração no século 21 como direito humano e a participação da língua nesse processo.

Um dos núcleos da exposição é a experiência de imigrantes de várias nacionalidades que vieram para São Paulo. Entre os migrantes que relatam sua experiência na mostra estão a chinesa Si Lao, o senegalês Papa Faty Diaw e a paraguaia Maria Teresa Ayala de Pereira. Há também histórias de brasileiros que foram morar no exterior e que relatam suas vivências.

A mostra traz experiências visuais, audiovisuais e ambientes sonoros. Logo na entrada, os visitantes serão recebidos na sala Deslocamentos Cruzados, onde, por meio de instalações visuais e sonoras, terão o impacto de se perceber em um mundo no qual cabem diversos universos, expressos pela variedade de idiomas em uso.

Dentre os artistas cujas obras participam da mostra estão a cantora Fortuna, a diretora da Associação Cultural Videobrasil, Solange Farkas, e o artista Edmar de Almeida. Também têm trabalhos na mostra o poeta Augusto de Campos, o artista Leandro Lima, o documentarista Marco Del Fiol, o Coletivo Bijari e o Estúdio Laborg.

“Cada língua é uma visão do cosmo, com seus provérbios, suas sonoridades, seus ritmos e sua poética própria. Cada uma delas organiza a seu modo a experiência do mundo”, destaca a curadora da mostra, Isa Grinspum Ferraz.

A exposição ficará em cartaz até junho de 2022, no primeiro andar da sede do museu, localizado na Estação da Luz, em São Paulo.

Informações sobre ingressos podem ser obtidas no site do Museu da Língua Portuguesa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos