Museu Nacional inaugura fachada restaurada quatro anos após incêndio

*Arquivo* RIO DE JANEIRO, RJ, 12.02.2019 - Fachada do Museu Nacional com andaimes após incêndio. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)
*Arquivo* RIO DE JANEIRO, RJ, 12.02.2019 - Fachada do Museu Nacional com andaimes após incêndio. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A fachada recuperada do Palácio de São Cristóvão, sede do Museu Nacional, será apresentada ao público oficialmente nesta sexta-feira (2). A data marca os quatro anos do incêndio que destruiu o edifício na Quinta da Boa Vista, zona norte do rio de Janeiro.

No jardim, serão exibidas ainda as 31 esculturas que antes ficavam no topo do palácio e que foram restauradas -elas foram substituídas no alto do prédio por réplicas.

Essa é a primeira etapa da reconstrução, que começou em novembro de 2021. Segundo o plano atual, a reinauguração do Museu Nacional deve ocorrer só em 2027.

Estima-se que 85% dos 20 milhões de exemplares que estavam no prédio tenham sido destruídos durante as mais de seis horas de incêndio na noite de 2 de setembro de 2018.

Além da conclusão das obras na fachada, que faz parte das comemorações de 200 anos de independência do Brasil, haverá também a abertura de exposições temporárias e a realização de atividades culturais e educativas, tudo na área externa.

Segundo estimativas feitas em 2019, vão ser necessários ao todo R$ 385 milhões para a reconstrução do museu. Até o momento, foram captados R$ 244 milhões através de doações de empresas, de pessoas físicas e do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), além de uma parceria com a Unesco ( Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Os dados são da Associação Amigos do Museu, responsável por gerir os recursos. A obra está sob responsabilidade da construtora Concrejato.

A expectativa é que os pesquisadores consigam recuperar de 20 mil a 50 mil dos itens resgatados nos escombros. Entre eles estão peças célebres como o crânio de Luzia, o fóssil humano mais antigo na América do Sul, e o meteorito do Bendegó, o maior já encontrado no país, que ficava na entrada e resistiu às chamas.

CONFIRA AS PRÓXIMAS ETAPAS:

Ainda em 2022

Desenvolvimento dos projetos de arquitetura, restauro e complementares para o Paço e Anexo

Execução das obras no Campus de Pesquisa e Ensino

2023

Entrega da obra de reforma e ampliação da Biblioteca Central

Entrega das obras no Campus de Pesquisa e Ensino

Entrega final das obras de fachadas e coberturas do bloco 1

Início das obras das fachadas e coberturas dos blocos 2, 3 e 4 do Paço de São Cristóvão

Início das obras no interior do Paço e Anexo

Início das obras nos jardins

2024-2027

Entrega das fachadas e coberturas dos blocos 2, 3 e 4 do Paço de São Cristóvão

Execução e entrega das obras no interior do Paço, Anexo e da Museografia

Execução e entrega das obras nos jardins

Montagem da exposição

Reabertura do Museu Nacional