Museu do Samba tem evento gratuito neste sábado com grupo das filhas e netas de Cartola

O Museu do Samba vai colocar na mesma roda ritmos como rap, caxambu e, claro, o samba, em um evento com entrada gratuita neste sábado, 25, a partir das 15h. Comandado pelo grupo Matriarcas do Samba, formado pelas filhas e netas de Cartola, Clementina de Jesus, Candeia e Zé Kéti, o show terá participações da cantora Lu Fogaça, do rapper Sagat B. e do coletivo Caxambu do Salgueiro.

As atrações celebrarão o encerramento do projeto Insurgentes – Tecendo Redes Culturais, que durante um ano promoveu capacitação cultural para artistas e produtores de favelas e periferias da cidade do Rio de Janeiro. Aos pés do Morro da Mangueira, o Museu do Samba, local do encontro musical, é considerado o maior centro de referencia da memória do gênero no Brasil.

Formado por Nilcemar Nogueira, Vera de Jesus, Selma Candeia e Geisa Kétti, o quarteto Matriarcas do Samba cantará sucessos como “Sonho Meu”, “A voz do morro”, “Alvorada”, “Preciso me encontrar”, “Marinheiro só” e “Histórias pra ninar gente grande”, samba-enredo da Mangueira. Também subirão ao palco os cinco projetos culturais vencedores do Insurgentes.

A primeira colocada foi a cantora Lu Fogaça, que cantará grandes sambas ao lado das Matriarcas. O rapper Sagat B. entra na sequência, com composições autorais engajadas, que têm como principal mensagem mostrar aos jovens que “o crime não compensa”. Terceiro colocado, Sagat B. é ex-presidiário, barbeiro e autor de uma autobiografia sobre seu processo de ressocialização, após 12 anos no sistema prisional.

O encerramento será no ritmo do caxambu, com os integrantes do coletivo Caxambu do Salgueiro, quarto colocado e com um projeto multilinguagem de dança, gastronomia, literatura e artesanato de artistas do Morro do Salgueiro, localizado na Grande Tijuca, Zona Norte do Rio. O evento terá ainda performances de dança e artes manuais. A artesã Aleine Freitas, segunda colocada, apresentará seus bonecos inclusivos e representativos. A dançarina Tatiana Bernardo, quinta colocada e autora do projeto “Mostra Reels de Videodança”, fará uma performance.

O projeto Insurgentes – Tecendo Redes Culturais foi realizado pelo Museu do Samba com apoio do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos