Musk demitiu funcionários do Twitter mesmo após aceitarem trabalhar por mais horas

Musk demitiu funcionários do Twitter mesmo após aceitarem trabalhar por mais horas. (Foto: STR/NurPhoto via Getty Images)
Musk demitiu funcionários do Twitter mesmo após aceitarem trabalhar por mais horas. (Foto: STR/NurPhoto via Getty Images)
  • Musk demitiu os empregados ainda que tivessem se comprometido em trabalhar mais e por mais tempo;

  • Gerentes de contas e funcionários da equipe de vendas fizeram parte das demissões;

  • O bilionário está cortando mais funções em um esforço para equilibrar os funcionários remanescentes

Mesmo tendo optado por permanecer no Twitter 2.0 “hardcore” de Elon Musk, vários funcionários foram demitidos. De acordo com a Bloomberg, trabalhadores do setor de vendas da empresa foram avisados ​​de que estavam sendo demitidos, apesar de terem se comprometido na semana passada com o ultimato de Musk para trabalhar mais e por mais tempo sob sua liderança.

Gerentes de contas e clientes parceiros da equipe de vendas fizeram parte das demissões, que ocorreram na noite de domingo, informou uma publicação do Platformer.

Musk está cortando mais funções em um esforço para equilibrar os funcionários remanescentes nas áreas de vendas e técnicas da empresa após cortes profundos na engenharia, disseram fontes à Bloomberg.

O novo chefe de vendas de publicidade do Twitter, Chris Riedy, organizou uma reunião geral com Musk para a equipe de vendas no domingo, à qual compareceu um grande número de funcionários. Durante essa reunião, Musk discutiu seus planos para anúncios e as implicações de trazer Trump de volta à plataforma, mas não mencionou as demissões iminentes.

Um funcionário disse ao Wall Street Journal que descobriu que havia sido demitido na manhã de segunda-feira por meio de um e-mail que dizia que sua função não era mais necessária.

Riedy substituiu Robin Wheeler, que inicialmente havia sido persuadido por Musk a permanecer no Twitter depois de entregar uma carta de demissão em 10 de novembro.

Musk pediu aos gerentes que demitissem mais funcionários em vendas, parcerias e funções semelhantes na sexta-feira, 18, um dia depois de dar aos funcionários um ultimato para assinar o Twitter 2.0 ou sair até quinta-feira, 17 de novembro, às 17h.

De acordo com a bloomberg, Wheeler recusou as instruções de Musk para demitir mais funcionários e, como resultado, perdeu o emprego.