Musk quer cobrar 8 euros/mês por contas verificadas no Twitter e utilizadores reagem

Manter uma conta verificada na rede social Twitter pode vir a custar oito dólares por mês (o mesmo valor em euros, ao câmbio atual), anunciou esta semana Elon Musk, o novo acionista maioritário da rede social do "passarinho azul".

Numa publicação em corrente partilhada esta terça-feira pela respetiva plataforma, Musk antecipou uma "nova fonte de rendimento" para o Twitter e uma eventual "recompensa para quem produz conteúdos" na rede social.

As personalidades vão ter ainda uma "tag" secundário sob o respetivo nome, tal como já acontece para os políticos, a distingui-las dos restantes utilizadores do Twitter com contas verificadas, acrescentou Elon Musk.

O anúncio de Musk está a agitar a rede social e muitos são os utilizadores verificados a recusar qualquer pagamento para manter o símbolo azul que os distingue das demais contas não verificadas. Alguns alegam inclusive que deveriam era ser pagos pelos conteúdos que partilham e pelos seguidores que mantêm a dar dinâmica ao "passarinho azul".

Há quem admita mesmo deixar o Twitter.

A congressista na Câmara dos Representantes norte-americana Alexandria Ocasio-Cortez partilhou uma publicação em que diz estar a rir-se "à gargalhada de um milionário tentando vender às pessoas a ideia de que a 'liberdade de expressão' é de facto um plano de subscrição de 8 dólares/mês".

Para já, o anúncio de Elon Musk não passa disso mesmo, mas uma decisão poderá ser tomada em breve pela administração da rede social.