Musk tenta acalmar anunciantes antes do prazo para comprar o Twitter

Musk tenta acalmar anunciantes antes do prazo para comprar o Twitter (Foto: Getty Images)
Musk tenta acalmar anunciantes antes do prazo para comprar o Twitter (Foto: Getty Images)
  • Anunciantes temem que Musk afrouxe a política de moderação da plataforma;

  • O bilionário disse que o Twitter não será um lugar “onde qualquer coisa pode ser dita sem consequências”;

  • Ele prometeu tornar o site “quente e acolhedor para todos”

Em uma tentativa de acalmar os anunciantes do Twitter, Elon Musk disse que não pretende transformar a plataforma em uma “paisagem infernal livre para todos”. Anteriormente, o homem mais rico do mundo deu a entender que tinha planos de afrouxar as regras de moderação de conteúdo assim que assumisse o controle da rede social.

O chefe da Tesla - que deve fechar a aquisição de R$ 233 bilhões até esta sexta-feira - disse em um tweet na quinta-feira que estava comprando a plataforma de mídia social para transformá-la em "um negócio comum. Uma praça da cidade digital, onde uma ampla gama de crenças pode ser debatida de forma saudável.”

Musk insistiu que o Twitter “não pode se tornar um inferno livre para todos, onde qualquer coisa pode ser dita sem consequências”, e prometeu tornar o site “quente e acolhedor para todos”. Ele ainda afirmou que os anunciantes podem contar com o site para ser aquele que “fortalece sua marca e expande sua empresa”.

Os anunciantes teriam se assustado com a promessa anterior de Musk de reverter algumas das principais decisões do site no que se refere à moderação de conteúdo, incluindo restabelecer a conta do ex-presidente Donald Trump.

Cerca de uma dúzia de clientes da empresa de publicidade GroupM, que atende as principais marcas de tecnologia e varejo, disseram que planejam pausar os anúncios no Twitter se a conta de Trump for restabelecida, segundo uma reportagem do The Wall Street Journal .

Kieley Taylor, chefe global de parcerias do GroupM, disse na publicação que restaurar a conta de Trump, que foi suspensa após os distúrbios do Capitólio em 6 de janeiro de 2021, seria uma linha vermelha para algumas marcas.

Musk, que já twittou “Eu odeio publicidade”, disse que quer que o Twitter seja “a plataforma de publicidade mais respeitada”, em uma tentativa de ganhar a confiança dos compradores de anúncios antes da aquisição.

As vendas de anúncios representaram mais de 90% da receita do Twitter no segundo trimestre, e a Reuters informou no início desta semana que a empresa estava lutando para manter seus usuários mais ativos que são vitais para os negócios. Isso ressalta o tamanho do desafio de Musk ao adquirir a empresa.