'Não dou bola pra isso', diz Bolsonaro sobre Brasil ficar para trás em vacinação

Gustavo Maia
·1 minuto de leitura
Brazil's president Jair Bolsonaro reacts during the swearing-in ceremony of the Brazil's Tourism Minister Gilson Machado, amidst the Coronavirus (COVID - 19) pandemic at Planalto Palace on December 17, 2020 in Brasilia. (Photo by Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)
(Foto: Getty Images)

BRASÍLIA — Em mais uma manifestação que põe em xeque a vacinação da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado que não se sente pressionado e "não dá bola" para o fato de outros países já terem começado a imunizar suas populações. Bolsonaro reforçou o argumento que vem utilizando de que nem as próprias fabricantes dos imunizantes não se responsabilizam por eventuais efeitos colaterais dos produtos.

— Ninguém me pressiona pra nada, eu não dou bola pra isso. É razão, razoabilidade, é responsabilidade com o povo, você não pode aplicar qualquer coisa no povo — comentou, durante passeio por Brasília nesta manhã.

Bolsonaro repetiu na sequência que tudo o que viu "até agora em vacina que poderão ser disponíveis tem uma cláusula que eles não se responsabilizam por qualquer efeito colateral".Ao ser indagado se estava se referindo ao caso da vacina da Pfizer/BioNTech, como já havia externado nos últimos dias, o presidente respondeu que "todas elas".

— Pelo que eu vi até agora, todas elas.

O Brasil não aprovou nenhuma vacina até o momento. Nenhuma fabricante solicitou pedido de registro emergencial ou definitivo à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No mundo, países como Reino Unido, Estados Unidos, México, Costa Rica e Chile foram mais ágeis nas negociações e parcerias e já deram início à vacinação contra a Covid-19.