'Não escute o que ela está dizendo', afirma presidente da CPI sobre Nise Yamaguchi

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em depoimento à CPI da Covid, a médica Nise Yamaguchi afirmou que vacinação e tratamento precoce são estratégias diferentes, mas igualmente importantes. A fala provocou uma reação dura do presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), que pediu para quem está está escutando para 'desconsiderar o que ela está dizendo'.

O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL) reproduziu um vídeo no qual a médica afirma que há evidências "robustas" de que o tratamento precoce salva vidas e que a vacinação aleatória e obrigatória não seria obrigatória.

Questionada pelo relator, a médica buscou explicar que se referia a duas questões separadas, uma vez que a vacina é relacionada com a prevenção, enquanto que o tratamento precoce seria usado para pessoas já infectadas. Mas reafirmou que as duas coisas são igualmente importantes.

"Eu considero que sim, são situações semelhantes, uma é a prevenção e o tratamento é tratamento. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa", afirmou.

Aziz reagiu com rigor e afirmou que ela será novamente convocada - ela compareceu à comissão nesta quarta-feira na condição de convidada, em que sua presença não era obrigatória.

"Quem está nos vendo nesse momento, eu peço que desconsidere essas questões que ela disse aqui em relação a vacina. Desconsidere o que está dizendo em relação a vacinas. Ela não está certa", afirmou Aziz

"Quem está nos vendo não acredite nela. Tem que vacinar. A vacina salva. Tratamento precoce não salva", completou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos