Não espere chegar ao ‘fundo do poço’: saiba onde conseguir terapia gratuita ou barata no Rio

Evelin Azevedo
·3 minuto de leitura

A pandemia da Covid-19 provocou uma avalanche na saúde mental das pessoas no Brasil e no mundo. Um estudo canadense mostrou que em 2020 a prevalência da depressão chegou a 16%, e da ansiedade a 15%, quatro e três vezes, respectivamente, mais frequentes em comparação aos dados dos anos anteriores relatados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Um dos tratamentos indicados para auxiliar na recuperação da saúde mental é a psicoterapia.

Existem variadas abordagens terapêuticas (veja as mais comuns abaixo), que podem ajudar a resolver problemas como ansiedade, depressão, traumas e falta de autoconfiança.

— A terapia é uma chance da pessoa tornar consciente alguns conteúdos que para ela não estão acessíveis e que a levam a repetir padrões de comportamento que trazem sofrimento — diz Bárbara Carissimi, coordenadora de Psicologia da Universidade Veiga de Almeida (UVA).

Para os especialistas em saúde mental, todo mundo deveria fazer psicoterapia. Mas, para o trabalho dar certo, é preciso comprometimento.

— A pessoa tem que se sentir aberta e disponível para esse processo. A terapia não é uma sessão, é um processo. Você trabalha pensamentos e mente mesmo fora da sessão. Então, você deve estar disponível emocionalmente para esse trabalho — diz Fabiane Curvo de Faria, psicóloga especializada em Terapia Cognitivo Comportamental e idealizadora da plataforma on-line Aterapia.

Tão importante quanto escolher a abordagem usada na psicoterapia é decidir qual profissional guiará o tratamento. O ideal é receber uma indicação de alguém de confiança.

— Normalmente as pessoas procuram a terapia quando estão “no fundo do poço”. Ninguém consegue lidar com tudo sozinho. O profissional, independente da recomendação e das referências, deve ter empatia com aquela pessoa que está ali, para que o paciente possa se abrir sem medo de ser criticado ou julgado — orienta Flavia Pitella, psicóloga que criou o projeto Terapia pra Todos.

O isolamento social fez com que os atendimentos psicoterapêuticos disparassem. Especialistas afirmam que as consultas remotas são benéficas para os pacientes, já que há mais agilidade na marcação das conversas, sendo possível, em alguns casos, atender imediatamente.

— A psicoterapia melhora a saúde mental, a qualidade de vida e permite que o indivíduo se oriente em pensamentos, sentimentos e relacionamentos — finaliza Vanessa Jaccoud, psicóloga idealizadora da Associação TranquilaMente.

Apesar de trazer vários benefícios, a psicoterapia não é tão acessível para a população em geral por conta do preço. Por isso, o EXTRA lista a seguir onde conseguir acompanhamento gratuito ou com preço popular, que variam de R$ 1 a R$ 50.

Como obter ajuda

O Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) da Universidade Estácio de Sá oferece várias abordagens psicoterapêuticas de graça. A ajuda é oferecida em várias unidades, como Estácio Santa Cruz (kelly.cardoso@estacio. br).

A universidade também oferece atendimento gratuito. Os interessados devem ligar no 3780-2600. As consultas são em Duque de Caxias.

O Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) da Universidade Veiga de Almeida oferece consultas a preços populares, que variam de R$2 a R$50. Para receber atendimento da unidade Tijuca, basta mandar um e-mail para spa@uva.br.

A Clínica de Psicologia oferece atendimentos em várias abordagens com valor social de R$ 1 a R$ 50, que varia de acordo com a renda do paciente. O contato é pelo WhatsApp: 21-99328-2539.

Projeto conecta pessoas que precisam de psicoterapia e profissionais que atendem com valor social. Inscrições no site terapiapratds.com.br.

Oferece atendimento psicológico a transgêneros a preço popular. Contato pelo WhatsApp: (21) 99729-9309.

Atendimento gratuito para mulheres desempregadas. Contato pelo site costuradosonho.org.br.