'Não fui convidado', diz Suplicy ao interromper reunião do PT

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Um episódio envolvendo o vereador Eduardo Suplicy (PT- SP) causou constrangimento no evento de lançamento das diretrizes do programa de governo da chapa Lula-Alckmin nesta terça-feira. Alegando não ter sido convidado, Suplicy reclamou que uma proposta de renda básica de cidadania formulada por ele não tinha sido incluída no documento apresentado em São Paulo.

Leia: Alta de juros é alvo de críticas em programa de governo da chapa Lula-Alckmin

Leia: Nas redes e no Nordeste, Lula e Bolsonaro agem para reverter pontos fracos na pré-campanha

Leia: Alckmin inclui desburocratização e 'fortalecimento da competitividade' em programa de governo de Lula

Na mesa estavam o pré-candidato a vice pelo PT, o ex-governador Geraldo Alckmin, e o pré-candidato à Presidência, o ex-presidente Lula, que permaneceu com a cabeça baixa enquanto Suplicy falava, com um papel em mãos.

— A proposta não foi considerada, infelizmente, entreguei por e-mail há dez dias e não foi considerada ainda, entre os itens principais, a instituição da renda básica de cidadania, aprovada por todos os partidos e sancionada pelo presidente Lula. Está no programa do PT há muitos anos. Ele (Mercadante) tem alguma coisa comigo, não me convidou para essa reunião! Mas hoje estou aqui e continuarei trabalhando para que Lula e Alckmin instituam a renda básica de cidadania enquanto eu estiver vivo — disse Suplicy, cortando uma fala do ex-senador Aluizio Mercadante, presidente da Fundação Perseu Abramo e um dos coordenadores da campanha de Lula.

Sem passar o microfone a Suplicy, que permaneceu de pé em frente à mesa, Mercadante respondeu que não era sua "função" acompanhar a lista de convidados:

— De fato não tive como acompanhar o convite de todas as pessoas. É só olhar o tamanho do plenário. Nem era minha função — respondeu o ex-senador e ex-ministro.

Em seguida, Mercadante explicou que a proposta de renda básica de cidadania, motivo de reclamação de Suplicy e uma de suas principais pautas na vida política, seria discutida "em debate aprofundado" e "em momento oportuno" com as demais propostas que serão recebidas na plataforma recém-lançada pelo PT. Afirmou, ainda, que a reclamação era injusta:

— Cometeu duas graves injustiças aqui. Mas estou acostumado, fui líder com vossa excelência na bancada, sei que é assim mesmo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos