Não há esperança de sobrevivente no acidente aéreo mais mortal do Nepal em 30 anos

Equipe francesa investiga destroços da uma aeronave operada pela Yeti Airlines, em Pokhara

Por Gopal Sharma

KATMANDU (Reuters) - Autoridades do Nepal disseram nesta quarta-feira que não há chance de encontrar sobrevivente do acidente de avião mais mortal do país em 30 anos, mas trabalhadores continuarão a procurar os restos mortais do último passageiro desaparecido.

Equipes de resgate usaram drones e desceram desfiladeiros profundos na terça-feira para vasculhar os restos carbonizados do Yeti Airlines ATR 72, que transportava 72 pessoas quando caiu perto da cidade turística de Pokhara na manhã de domingo.

"Não há possibilidade de encontrar nenhum sobrevivente. Coletamos 71 corpos até agora. A busca pelo último continuará", disse Tek Bahadur K.C., autoridade graduada do distrito em Pokhara, nesta quarta-feira.

Identificar os corpos e prestar contas de todas as 72 pessoas tem sido difícil por causa do estado dos restos mortais, afirmou Ajay K.C, policial no local do resgate.

"Até que os testes do hospital mostrem todos os 72 corpos, continuaremos procurando pela última pessoa", disse Ajay K.C.

As equipes de busca encontraram 68 corpos no dia do acidente, e mais dois foram recuperados na segunda-feira, antes que a busca fosse suspensa. Mais um corpo foi recuperado no final da tarde de terça-feira, disseram autoridades.

Na segunda-feira, as equipes encontraram o gravador de voz da cabine e o gravador de dados do voo, ambos em boas condições, uma descoberta que provavelmente ajudará os investigadores a determinar o que causou o acidente.

Como o Nepal não possui instalações para ler as chamadas caixas-pretas, os dispositivos serão enviados para onde o fabricante recomendar.

(Reportagem de Gopal Sharma em Katmandu)