'Não sou malvadão, não quero aumentar o preço de nada', diz Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que não é "malvadão" e que não quer "aumentar o preço de nada". Bolsonaro tem sido pressionado pelo aumento da inflação, especialmente dos combustíveis, mas tem colocado a responsabilidade no cenário econômico mundial.

— Alguns me criticam, o preço do combustível, o preço do gás. Eu não sou malvadão, eu não quero aumentar o preço de nada. Mas não posso interferir no mercado — disse Bolsonaro, em entrevista à rádio Caçula FM, do Mato Grosso do Sul.

Em outro momento da entrevista, o presidente afirmou que haveria um reajuste no combustível — o que foi confirmado horas depois pela Petrobras —, mas que ele gostaria que isso não ocorresse

— Vem reajuste de combustível? Vem. Não estou querendo, gostaria que não viesse. Mas como eu disse agora há pouco, (é só) ver o preço do petróleo lá fora, do barril, e ver como está o dólar aqui dentro. Quando se fala em aumento de combustível, isso é uma correia de transmissão para a inflação, tudo sobe.

Bolsonaro disse que é uma "realidade" e que "o mundo todo está sofrendo".

— Agora, eu não sou malvado, eu não quero aumento de combustível, mas é uma realidade. O mundo todo está sofrendo com a economia neste, espero, pós-pandemia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos