Não trate a China como "rival estratégico", diz embaixador chinês nos EUA

Yew Lun Tian
·1 minuto de leitura
Embaixador da China nos EUA, Cui Tiankai, durante entrevista à Reuters em Washington

Por Yew Lun Tian

PEQUIM (Reuters) - Tratar a China como um "rival estratégico" dos Estados Unidos é um equívoco que pode levar a erros, disse o embaixador da China nos Estados Unidos em discurso em um fórum online.

Desde que o governo Trump definiu a China como rival estratégico em 2018, tem havido confronto entre Washington e Pequim frequentemente sobre questões que vão desde o comércio até o tratamento do coronavírus por Pequim, e o novo governo do presidente Joe Biden deve manter pressão sobre a China.

No primeiro discurso importante de uma autoridade chinesa sobre as relações entre as duas maiores economias do mundo desde que Biden assumiu o cargo, o embaixador Cui Tiankai reafirmou a posição de longa data da China de buscar uma coexistência pacífica com os Estados Unidos, ao mesmo tempo em que alertou para não cruzar a linha vermelha da China.

"Tratar a China como um rival estratégico e inimigo imaginário seria um grande equívoco estratégico", disse Cui no fórum que ocorreu na noite de quarta-feira no horário dos EUA, quinta-feira em Pequim.

"Desenvolver qualquer política com base nisso só levaria a graves erros estratégicos."

Cui enfatizou que a China deseja cooperação, não confronto, e pediu que ambos os lados tratem das diferenças por meio do diálogo. Mas ele também disse que a China não cederá em questões relativas à soberania e integridade territorial.

"A China não vai recuar. Esperamos que os Estados Unidos respeitem os principais interesses da China e evitem cruzar a linha vermelha", afirmou Cui.