'Não vou admitir eu ser um presidente pato manco, refém de decisões monocráticas', diz Bolsonaro

Daniel Gullino
·1 minuto de leitura
Foto: AP Photo/Eraldo Peres
Foto: AP Photo/Eraldo Peres

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que não será um "presidente pato manco, refém de decisões monocráticas", em referência à decisão que impediu a posse de Alexandre Ramagem no comando da Polícia Federal (PF). Em entrevista à rádio "Guaíba", Bolsonaro classificou como "afronta" a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de impedir a posse.

— Não vou admitir eu ser um presidente pato manco, refém de decisões monocráticas de quem quer que seja. Não é um recado. É uma constatação ao senhor Alexandre de Moraes — disse Bolsonaro na entrevista.

Leia também:

O presidente voltou a dizer que não "engoliu" a decisão de Moraes, como havia feito minutos antes no Palácio da Alvorada:

— Tudo tem limite. Essa decisão do senhor Alexandre de Moraes, não engoli ela no dia de ontem. É uma afronta à pessoa do presidente da República.

De acordo com Bolsonaro, o ministro precisa explicar se Ramagem pode continuar no comando da Agência Brasileira de Inteligência (Abin):

— Estou cobrando ele publicamente uma posição se o senhor Ramagem pode continuar à frente da Abin ou não. Ou deve ir para uma quarentena, se isolar. Não serve para servir à nação?

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.