Nísia Trindade Lima é nomeada para 2º mandato consecutivo de presidente da Fiocruz

O Globo
·2 minuto de leitura

RIO — A atual presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, foi nomeada nesta segunda-feira para continuar no cargo máximo a instituição durante a gestão 2021-2024. O decreto presidencial de nomeação foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

A Eleição Fiocruz 2020 foi a mais expressiva da história da instituição, com a participação de 4.400 eleitores — 91,6% dos 4.847 servidores aptos a votar.

Nísia foi eleita em primeiro lugar na lista tríplice homologada por unanimidade pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz e entregue ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em novembro do ano passado. Em segundo lugar ficou Rivaldo Venâncio, coordenador de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência. A terceira colocação foi ocupada por Mario Moreira, vice-presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional.

“Mais uma vez serei presidente de todas e todos, ampliando o diálogo interno e com as esferas de governo, dos poderes da República e da sociedade civil. Prometo continuar conduzindo a nossa instituição com o mesmo comprometimento, serenidade e firmeza dos últimos quatro anos”, afirmou a presidente na carta de agradecimento enviada à comunidade Fiocruz.

Na manhã desta segunda, Nísia esteve reunida com o ministro chefe da Casa Civil, General Braga Netto, em Brasília, para tratar da finalização do processo de nomeação para a presidência da instituição. A presidente apresentou os resultados e realizações de sua gestão, bem como perspectivas e propostas para o próximo mandato, com ênfase no sistema de ciência e tecnologia e inovação da Fiocruz e seu papel para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Primeira mulher eleita presidente da Fiocruz

Nísia Trindade Lima é doutora em Sociologia e servidora da Fundação desde 1987. É a primeira mulher eleita presidente na história da Fiocruz. Ingressou na instituição como pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), assumindo a direção da unidade de 1999 a 2005. Atuou como integrante do conselho editorial da Editora Fiocruz, do comitê científico e da comissão executiva do 4º Congresso Mundial de Centros de Ciência e da comissão organizadora de eventos integrantes da comemoração do centenário da descoberta da Doença de Chagas.

Imunizante: Fiocruz promete entregar em fevereiro 1 milhão de doses da vacina de Oxford

Recentemente assumiu a copresidência da Rede de Saúde para Todos da UNSDSN e a copresidência do Grupo Diretor de Recuperação Econômica para aconselhar sobre o desenvolvimento de um Roteiro de Pesquisa das Nações Unidas para a Recuperação Covid-19. Em setembro de 2020, Nísia recebeu o título de professora honoris causa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Em dezembro do ano passado, foi eleita membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC), na categoria Ciências Sociais.