CoronaVac: Ministério da Saúde libera vacinação contra Covid-19 a crianças de 3 a 5 anos

O Ministério da Saúde liberou a vacinação para crianças de 3 a 5 anos com CoronaVac nesta sexta-feira. Com o anúncio, estados e municípios já podem usar os estoques disponíveis para começar a imunizar o público infantil. A decisão chancela o parecer do Comitê Técnico Assessor em Imunizações do Programa Nacional de Imunizações (CTAI/PNI), aguardado pela alta cúpula. O grupo também aprovou a dose de reforço para a faixa etária de 5 a 11 anos.

Impactos da pandemia: Vacinação infantil enfrenta maior retrocesso em três décadas, alerta Unicef

Escassez de medicamentos: Dipirona, soro e antibióticos são os remédios mais em falta nos hospitais privados de SP, diz estudo inédito

Venvanse: Cresce o consumo do remédio entre jovens para melhorar a concentração; entenda os graves riscos à saúde

Segundo interlocutores ouvidos pelo GLOBO, a pasta deve publicar nota técnica na próxima semana. É o documento que orientará estados, Distrito Federal e municípios na aplicação de doses no público mirim.

O anúncio acolhe o aval dado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última quarta-feira, que ampliou a autorização de uso emergencial para o grupo — anteriormente, era a partir de 6 anos. Com cinco votos a favor, a decisão foi tomada por unanimidade e leva à inclusão da nova faixa etária na bula do imunizante.

"Tendo em vista a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, ouvida a Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI), o Ministério da Saúde orienta os entes federativos a ampliar o uso da vacina Covid-19/Coronavac para faixa etária de 3 a 5 anos de idade", diz a nota.

A pasta informa que negocia novas remessas. Como a coluna de Lauro Jardim antecipou, a opção que está na mesa é comprar diretamente do consórcio global Covax Facility, que seria mais barato que adquirir do Butantan.

"A pasta recomenda que seja utilizado os estoques existentes nos estados e municípios. No entanto, o Ministério da Saúde segue em tratativas para aquisição de novas doses", continua o comunicado.

Ao todo, esse público deve tomar duas doses de CoronaVac, com intervalo de 28 dias. Não há distinção de dosagem e de formução entre as faixas etárias. O Instituto Butantan, produtor de CoronaVac no Brasil, solicitou o registro definitivo da vacina à agência no último sábado. O pedido está em análise.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos