Número de desaparecidos no litoral sobe para 43, segundo bombeiros

ALFREDO HENRIQUE
GUARUJÁ, SP, BRASIL, 03-03-2020 - Moradores ajudam bombeiros nas buscas por sobreviventes no Morro da Barreira, no Guarujá·. A forte chuva que atingiu a Baixada Santista na madrugada de terça-feira, deixou 16 mortos e pelo menos 46 pessoas desaparecidas. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O número de desaparecidos nos deslizamentos da Baixada Santista saltou de 22 para 43, segundo o Corpo de Bombeiros. A atualização ocorreu por volta das 12h10 desta quinta-feira (5).

Segundo o tenente-coronel Henguel Ricardo Pereira, diretor estadual de Proteção e Defesa Civil, o número aumentou após um trabalho de triagem feito pelo órgão, juntamente com os bombeiros e assistentes sociais.

"Fizemos um cruzamento de informações, que fez com que o número aumentasse. Isso demorou um pouco", explicou.

Pereira ainda disse que há a possibilidade de que famílias inteiras tenham sido soterradas e, por isso, ninguém havia dado informações sobre o eventual desaparecimento delas, por exemplo. "Graças ao trabalho de assistentes sociais, que já atuavam nas regiões afetadas, conseguimos levantar nomes de pessoas que estão desaparecidas", explicou o tenente-coronel.

Ele ainda afirmou que existe a possibilidade de o número de desaparecidos aumentar novamente.

Segundo a Defesa Civil, as chances de que sobreviventes sejam localizados em meio à terra diminui a cada segundo.

Até o momento, foram confirmadas 27 mortes, sendo 22 no Guarujá 86 km de SP), 3 em Santos (72 km de SP) duas em São Vicente (65 km de SP).

Dos 43 desaparecidos, 37 são de Guarujá, cinco de Santos e um de São Vicente.