Número diário de migrantes em travessia pelo canal da Mancha bate recorde

·2 minuto de leitura
Migrantes atravessam o Canal da Mancha, em 1º set. 2020, rumo à costa sul da Inglaterra

Pelo menos 482 migrantes atravessaram o Canal da Mancha na quarta-feira (4) e chegaram à costa da Inglaterra, um recorde diário - disse o Ministério britânico do Interior nesta quinta (5).

Desde o início do ano, cerca de 10.000 pessoas desembarcaram no Reino Unido por esta rota perigosa. Estabelecido em 19 de julho passado, o recorde anterior de chegadas foi de 430 pessoas.

Embora o ministério não divulgue um balanço anual, a contagem da agência de notícias britânica PA estipula em mais de 10.000 o número de pessoas que cruzaram o Canal de Mancha, em pequenas embarcações, desde o início do ano.

Em 2020, mais de 8.000 pessoas cruzaram este estreito entre França e Inglaterra.

Na quarta-feira (4), as autoridades francesas interceptaram oito embarcações com 246 pessoas a bordo, conforme o Ministério britânico do Interior.

Segundo o comandante Dan O'Mahoney, encarregado da "ameaça clandestina" no canal, "estes números são inaceitáveis. Por isso, atuamos em todas as frentes".

"As forças da ordem desmantelam as máfias de traficantes de pessoas", e "o trabalho conjunto com os franceses permitiu duplicar o número de policiais nas praias francesas", acrescentou.

Embora essa questão seja um tema de habitual atrito entre Londres e Paris, no final de julho, o Reino Unido prometeu pagar à França 62,7 bilhões de euros (em torno de US$ 74 bilhões) para financiar o reforço das agências policiais francesas na costa, entre 2021- 2022.

O Parlamento britânico começou a tramitar, antes do seu recesso de verão (inverno no Brasil), o endurecimento do sistema de asilo. Proposta pela ministra do Interior, Priti Patel, esta era uma das promessas do Brexit.

Qualificada como "justa, mas firme" pela ministra e denunciada por associações de defesa dos Direitos Humanos, esta reforma espera conter a imigração ilegal e prevê um tratamento diferenciado aos demandantes de asilo. O tratamento dependerá da forma como entraram no país - legal, ou ilegalmente.

O projeto de lei pretende aumentar para quatro anos a pena máxima de prisão para os imigrantes que entrarem no país de forma clandestina. Hoje, essa pena é de até seis meses. O texto prevê ainda condenar à prisão perpétua os traficantes de pessoas, contra a pena atual de até 14 anos de prisão.

spe/gmo/at/grp/mar/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos