Número dois da Saúde pede compreensão para postos em que vacina da gripe acabou

André de Souza, Leandro Prazeres e Renata Mariz

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, pediu compreensão com os problemas verificado em alguns postos de vacinação, onde a vacina da gripe acabou antes de poder atender todas as pessoas que estão na fila.

Segundo Gabbardo, para poder antecipar a campanha por conta do novo coronavírus, parte da produção feita pelo Instituto Butantan foi entregue, mas o resto está sendo distribuído aos poucos, conforme mais vacinas ficam prontas. Segundo ele, há 1 milhão de vacinas sendo encaminhadas diariamente para os estados. O período de vacinação começou na segunda-feira.

Gabbardo, que é o número dois do ministério, disse que, na distribuição, é possível que postos acabem tendo problemas. Ele também pediu que as pessoas não se vacinem antes do cronograma previsto pela pasta. Neste momento, é a vez dos idosos.

— Então, a população e os meios de comunicação têm que ter um pouco de compreensão desse processo. Para antecipar, a gente vai liberando as vacinas à medida que vão sendo fabricadas. A outra opção era: não iniciar agora, esperar um quantitativo suficiente de vacinas para que com a distribuição elas não faltassem. Optamos pela primeira hipótese e acho que acertamos: antecipar a vacina. Agora, tem que ter compreensão. Se todo mundo quiser vacina no primeiro dia, no segundo dia, não vai ter suficiente. Mas todos os dias vamos mandar 1 milhão de doses vacinas para todos os estados. E começamos com 10 milhões — disse Gabbardo.

Em campanhas anteriores, o Ministério da Saúde esperava toda a produção ficar pronta. Este ano, a estratégia mudou com a decisão de antecipar a vacinação.

— Normalmente, nós esperamos receber do Butantan um quantitativo de vacinas suficientes para fazer a distribuição para os estados, para que os estados possam distribuir os municípios, e os municípios para sua rede de unidades básicas. Aí não falta vacina. Nesse caso, a gente optou por fazer uma antecipação — disse Gabbardo.