Número dois do grupo Aurora Dourada foge para evitar a prisão na Grécia

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Christos Pappas em 4 de junho de 2014
(Arquivo) Christos Pappas em 4 de junho de 2014

O número dois do partido neonazista Aurora Dourada, Christos Pappas, não se apresentou às autoridades nesta sexta-feira na Grécia após a emissão de uma ordem de prisão.

Ao contrário do líder do grupo e de dezenas de integrantes, o advogado de Pappas, ideólogo e membro histórico do partido, anunciou que seu cliente não se entregaria nesta sexta-feira e a polícia iniciou uma operação de busca em vários endereços.

Pappas, 58 anos, foi condenado a 13 anos de prisão, após um julgamento histórico em Atenas, no qual vários dirigentes do partido foram declarados culpados de comandar uma "organização criminosa".

Admirador de Benito Mussolini e colecionador de itens do fascismo italiano, Pappas era o braço direito do líder do Aurora Dourada, Nikos Michaloliakos, que também foi condenado a 13 anos de prisão.

Em 2013, Pappas fugiu da polícia, quando vários líderes do Aurora Dourada foram detidos após o assassinato do rapper antifascista Pavlos Fyssas.

Este crime e o julgamento, iniciado em 2015, provocaram o declínio do partido, que conseguiu 18 cadeiras no Parlamento em 2012, no momento em que a Grécia enfrentava uma crise financeira e registrava a chegada de milhares de migrantes em seu território a cada semana.

Nas eleições do ano passado, o Aurora Dourada não conseguiu a eleição de nenhum deputado.

jph/lc/ia/pz/bl/mar