Número de imunizados ultrapassa o de casos nos EUA

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O número de pessoas imunizadas nos EUA ultrapassou o de casos no último sábado (6). Naquela data, 29.776.160 milhões haviam recebido duas doses da vacina, enquanto as infecções somavam 28.952.970. Após um início em dezembro sob críticas devido ao baixo ritmo da aplicação das doses, com média de 900 mil injeções por dia entre dezembro e janeiro, os EUA chegaram a 5,3 milhões de imunizantes administrados no último fim de semana, com o recorde de 2,9 milhões justamente no sábado. A aceleração veio com a abertura de centros de imunização em massa, em estádios e arenas esportivas e em 18 galpões da Agência Federal de Gestão de Emergências (Fema, na sigla em inglês), muitos com funcionamento 24 horas. Muitos estados também permitem que supermercados e farmácias façam as aplicações, além de hospitais e centros médicos. Também conta a favor uma maior aceitação da vacina pelos americanos. Pesquisa divulgada na sexta-feira (5) pelo Pew Research Center mostrou que 69% planejam receber -ou já receberam- o imunizante, taxa que já foi 60% em novembro. O presidente Joe Biden prometeu que, até o fim de maio, haverá doses para todos os adultos do país que desejarem ser vacinados, dois meses antes do prazo anunciado inicialmente. Os EUA têm visto, desde o início do ano, uma queda constante de casos. De acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, o país tem registrado média de 60 mil novos casos por dia -ante 260 mil em janeiro-, e o número de mortes diárias é de cerca de 1.700. Há dois meses, as vítimas passavam de 4.000 em 24 horas. Até esta terça (9), 32,1 milhões já haviam sido completamente vacinados, o que equivale a 9,6% da população dos EUA. Para esse grupo, o Centro de Prevenção e Controle de Doença (CDC, na sigla em inglês) afirma que é possível dar um primeiro passo rumo ao novo normal, com reuniões de vacinados em pequenos grupos sem máscaras. Nos EUA, são três as vacinas aprovadas para uso --as da Pfizer e da Moderna, com duas doses cada, e a da Janssen, de uma única aplicação.