Número de mortos por chuvas e inundações sobe para 97 no Peru

Lima, 29 mar (EFE).- O número de mortos pelas intensas chuvas e inundações que castigam o Peru nos últimos dias foi elevado nesta quarta-feira para 97, segundo o último boletim do Centro de Operações de Emergência Nacional (COEN), que informou o total de desabrigados ultrapassa a casa das 124 mil pessoas.

Após as inundações registradas na segunda-feira na região de Piura, os afetados de alguma forma pelo fenômeno climático no país chegaram a 813.239 pessoas, segundo as autoridades. Já o número de imóveis danificados pelas chuvas é de 182.116.

A cidade de Piura, que fica a mais de 1.000 quilômetros ao norte de Lima, ficou inundada durante a madrugada pelo transbordamento do rio de mesmo nome. As águas chegaram até o centro histórico da capital regional e, em alguns lugares, atingiu dois metros.

Apenas na região de Piura, segundo o COEN, há oito mortos, 20.968 desabrigados, 238.855 afetados e 48.952 imóveis danificados. Em Lima, que sofreu com chuvas, inundações e deslizamentos na semana passada, há dez mortos, 6.725 desabrigados, 22.699 afetados e 8.637 imóveis danificados, de acordo com as autoridades.

O relatório do COEN afirmou que as Forças Armadas auxiliaram mais de 5 mil pessoas em Piura nas últimas 48 horas em operações de resgate e trabalhos de evacuação de zonas inundadas. Foram mobilizados 3.600 homens do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

O governo regional de Piura montou três albergues para receber os desabrigados nos distritos de Castela, 26 de Octubre e Catacaos. Outras seis estruturas semelhantes já tinham sido instalados pelas autoridades locais e pelo Instituto Nacional de Defesa Civil.

Além disso, o Ministério da Habitação realizou trabalhos de limpeza nas ruas, coletando resíduos sólidos, promovendo o melhoramento de ruas e o abastecimento de água potável em três províncias da região de Tumbes, na fronteira com o Equador.

O Ministério da Saúde transferiu um bebê de apenas três dias de idade, nascido na cidade de Sullana, em Piura, para o Instituto Nacional de Saúde da Criança, de Lima, onde foi internado por apresentar sérios problemas de saúde.

O órgão também segue capacitando médicos, enfermeiras e agentes dos centros de saúde da cidade de Apalpa, no sul do país, para prevenir e atender eventuais casos de dengue.

Peru enfrenta desde dezembro uma emergência climática causada pelo fenômeno de "El Niño costero", que se manifesta quando o aquecimento do Oceano Pacífico provoca intensas chuvas e inundações em toda a costa do país, principalmente no norte e no centro, incluindo Lima. EFE