Número de mortos em tempestades na Califórnia chega a 20; Biden agenda visita

Vista aérea de enchente na cidade de Guerneville, na Califórnia, EUA

Por Daniel Trotta

(Reuters) - O desfile de rios atmosféricos que atingiu a Califórnia por três semanas finalmente diminuiu na segunda-feira, permitindo que o Estado norte-americano iniciasse longos reparos em estradas e diques, e a Casa Branca anunciou que o presidente Joe Biden planeja avaliar os danos.

As nove tempestades consecutivas que inundaram a Califórnia sucessivamente desde 26 de dezembro mataram pelo menos 20 pessoas, enquanto dezenas de milhares permaneciam sob ordens de retirada até segunda-feira, disse o governador Gavin Newsom em um decreto que reforçou a resposta do Estado aos danos causados pela tempestade.

"A última chuva forte na Califórnia está diminuindo lentamente. Depois da meia-noite não deve ser mais forte", disse o meteorologista David Roth, do Centro de Previsão do Tempo do Serviço Nacional de Meteorologia.

Biden viajará para áreas da costa central na quinta-feira para encontrar os socorristas, visitar as cidades afetadas e "avaliar que apoio federal adicional é necessário", disse a Casa Branca.

O presidente já havia emitido uma declaração de emergência em 8 de janeiro para liberar ajuda federal e, no sábado, autorizou a assistência a desastres nos condados de Merced, Sacramento e Santa Cruz.

Embora prejudiciais, as tempestades também ajudaram a mitigar uma seca histórica, uma vez que grande parte do Estado já recebeu metade ou mais de sua precipitação média anual.

Mas as autoridades estão pedindo aos californianos que continuem economizando água. O Monitor de Seca dos EUA ainda mostra quase todo o Estado sob condições de seca moderada ou severa. Os níveis dos reservatórios ainda estavam abaixo da média para esta época do ano, disseram autoridades.