Número de mortos em inundações na Grécia sobe para 20

Rua de Mandra, periferia de Atenas, após inundação

As inundações que atingiram a periferia oeste de Atenas na semana passada fizeram 20 mortos e dois desaparecidos, de acordo com um novo balanço fornecido pelos serviços de emergência.

Após a tragédia, o governo apresentou, nesta segunda-feira (20), medidas de emergência às áreas atingidas pelas inundações, incluindo uma ajuda de 5.000 euros por família afetada.

As cidades de Mandra, Nea Peramos e Megara, localizadas a cerca de cinquenta quilômetros a oeste de Atenas, sofreram inundações violentas na quarta-feira.

O corpo de um homem foi encontrado no domingo em Mandra, elevando a 20 o número de pessoas mortas. "Ainda estamos à procura de outras duas pessoas", declarou uma porta-voz dos bombeiros.

De acordo com ela, a água está escoando, mas a área permanece cheia de detritos.

Muitas das vítimas morreram afogada, levadas pela água e lama, e algumas presas em seus carros ou porões.

Os especialistas apontam como um dos fatores da tragédia a urbanização sem planejamento desta área agrícola semi-industrial nos últimos anos, bem como deficiências crônicas nos serviços do governo federal e das prefeituras sobre as obras de prevenção de inundações.

De acordo com o porta-voz do governo, Dimitris Tzanakopoulos, equipes de inspeção confirmaram que 1.000 casas e lojas foram danificadas. Os seus proprietários estão preocupados com a indenização anunciada.

O fundo de indenização também diz respeito a outras áreas afetadas na semana passada por inundações, incluindo a ilha de Symi no Egeu e algumas áreas no centro e norte do país.

A Grécia também deve pedir ajuda aos fundos de solidariedade da União Europeia.