Número de vacinados contra Covid-19 no Brasil chega a 2.051.295

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O total de vacinados contra o coronavírus no Brasil chegou neste domingo (31) a 2.051.295 de pessoas, segundo dados levantados por veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de saúde. Isso representa menos de 1% da população brasileira. Apenas 11 estados informaram o número de vacinações neste domingo ao consórcio, formado pelos veículos Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1. Foram eles: AM, BA, MG, MT, PA, PB, PI, RJ, RN, RS e SP. Por enquanto, as vacinas disponíveis no Brasil são a Coronavac, vacina do Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, e o imunizante da Fiocruz, desenvolvido pela parceria entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca. O total de pessoas que receberam a primeira dose representa 1,27% da população brasileira acima de 18 anos, e 0,97% em relação à população total do país. Em relação ao total de doses disponíveis, o número de imunizados representa 24,43%. O consórcio foi formado em junho de 2020 em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de Covid-19. Os veículos decidiram, então, formar uma parceria e trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. O Brasil registrou um novo recorde no sábado (30) e, pelo segundo dia consecutivo, teve a maior média de novas mortes por Covid-19 na última semana desde o fim de julho, auge da primeira onda no país. A média móvel de mortes chegou a 1.071 óbitos neste sábado. Esse número já tinha atingido o pico na sexta (29), com média de 1.068 mortes por dia na semana anterior. Antes disso, o recorde havia sido em 26 de julho, com média de 1.074 óbitos. Neste domingo, foram registradas 563 mortes e 27.597 casos da doença. Com isso, o país chegou a 224.534 óbitos e a 9.202.791 pessoas infectadas pela Covid-19 desde o início da pandemia. Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.