Não vacinados representam 94% das internações por Covid-19 no Ronaldo Gazolla, que reabrirá para outras doenças

·3 min de leitura
Foto: REUTERS/Pilar Olivares
Foto: REUTERS/Pilar Olivares
  • Número de internados com Covid é majoritariamente de pessoas que não tomaram vacina no RJ

  • Diante desse cenário, hospital referência da cidade converterá leitos para tratar de outras doenças

  • Secretária teme que pandemia tenha 'represado' casos de outras enfermidades

Das 218 pessoas atualmente internadas com Covid-19 no Hospital Ronaldo Gazolla, referência no tratamento da doença na cidade do Rio, 206 não têm nenhuma dose da vacina, o que equivale a 94% dos hospitalizados. Dos restantes, dois tomaram a primeira dose e 10 já tomaram a segunda, segundo a Secretaria municipal de Saúde (SMS).

Nesta quarta-feira, a pasta anunciou que converterá 100 leitos do hospital para o tratamento de outras doenças que não a Covid-19. Desde março de 2020, a unidade foi dedicada unicamente à assistência de pacientes com a doença. A mudança visa a acolher a demanda gerada por outras enfermidades, represada pela pandemia.

Leia também:

O Ronaldo Gazolla foi uma das unidades escolhidas para atender a essa demanda — cuja urgência foi reconhecida pelo comitê científico da cidade na última quinta-feira, em reunião com representantes da prefeitura — porque conta com muitos leitos livres. Na tarde desta quinta-feira, dos 420 leitos existentes no hospital, 176 estavam desocupados e disponíveis para regulação, segundo o Censo Hospitalar público da SMS.

Trata-se de um reflexo da redução no número de novas internações por Covid-19. De acordo com a secretaria, houve uma queda de 47% no número de admissões mensais entre agosto e setembro na unidade. No mês passado, 1.258 pacientes foram internados, o maior número de toda a pandemia; neste mês, foram 663, o menor número desde dezembro de 2020.

Dados do último boletim epidemiológico da cidade, divulgado na sexta-feira passada, apontam uma queda de 42% no número de novas internações entre as semanas epidemiológicas 33 (15 a 21 de agosto) e 37 (12 a 18 de setembro). Na primeira semana de referência, foram registradas 609 admissões em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) localizadas na cidade; na mais recente, 361.

"Voltar os olhos para outras doenças"

Health workers adjust their protective clothes at the coronavirus disease (COVID-19) care unit at the Ronaldo Gazolla Hospital in Rio de Janeiro, Brazil June 18, 2021. Picture taken June 18, 2021. REUTERS/Pilar Olivares
Health workers adjust their protective clothes at the coronavirus disease (COVID-19) care unit at the Ronaldo Gazolla Hospital in Rio de Janeiro, Brazil June 18, 2021. Picture taken June 18, 2021. REUTERS/Pilar Olivares

— Hoje, o número total de leitos do Ronaldo Gazolla (420) é maior do que o número de internados por Covid-19 em toda a cidade (410) — destacou Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde do Rio. — Com essa medida, estamos atendendo à recomendação do nosso comitê científico de voltar os olhos para outras doenças.

Dos 100 leitos reconvertidos, 48 são de UTI e 52 de enfermaria. Os 320 restantes continuarão exclusivos para o tratamento da Covid-19. Destes, 280 são de UTI e 40 de enfermaria.

Durante a pandemia, mais de 10 mil pacientes com Covid-19 passaram pelo hospital. Destes, 8.673 acabaram internados, e 4.721 receberam tratamento na UTI. Os números são do sistema de Informações em Saúde da SMS, o tabnet municipal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos