Nações ricas precisam cumprir promessas climáticas, diz enviado especial dos EUA

Enviado especial dos Estados Unidos para o clima, John Kerry, durante reunião no Cairo

Por Gwladys Fouche

OSLO (Reuters) - As nações mais ricas do mundo precisam implementar suas promessas para manter vivo o objetivo de evitar os piores impactos das mudanças climáticas, disse o enviado especial dos Estados Unidos, John Kerry, à Reuters, neste sábado.

Kerry afirmou que avançar é vital, à medida que o Egito se prepara para sediar a próxima rodada de negociações climáticas da ONU, a COP27, em novembro, em Sharm el-Sheikh.

Para a cúpula ser um sucesso, as 20 nações mais ricas do mundo, que representam 65% do produto interno bruto mundial, precisam continuar comprometidas com a limitação do aquecimento global em 1,5 grau Celsius, como prometeram na reunião da ONU ano passado em Glasgow, disse.

“Isso é fundamental”, afirmou Kerry na entrevista. “Esses 20 países são responsáveis por 80% de das as emissões (de gases do efeito estufa). Se esses países se mexerem, resolvemos o problema”.

Algum progresso está sendo atingido, mas insuficiente, e mudanças também precisam acontecer mais rapidamente, afirmou.

Lidar com crises globais como a pandemia de Covid-19 e a guerra na Ucrânia tiraram o foco das tentativas de combater mudanças climáticas, afirmou Kerry.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos