Na Celac, Lula diz que Brasil 'está de volta ao mundo'

Presidente foi para o país vizinho na noite de domingo (22); esta é a primeira viagem internacional de seu novo mandato

Lula na Casa Rosada, em Buenos Aires, Argentina (Foto: REUTERS/Agustin Marcarian)
Lula na Casa Rosada, em Buenos Aires, Argentina (Foto: REUTERS/Agustin Marcarian)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta terça-feira (24), durante a abertura da 7ª Cúpula da Celac (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos, em Buenos Aires, na Argentina, que o Brasil “está de volta ao mundo”.

“No meu primeiro pronunciamento após o resultado das eleições, afirmei que o Brasil estava de volta ao mundo. Nada mais natural do que começar esse caminho de retorno pela Celac”, falou ele no início do pronunciamento.

“É com muita alegria e satisfação muito especiais que o Brasil está de volta à região e pronto para trabalhar lado a lado com todos vocês, com um sentido muito forte de solidariedade e proximidade”, acrescentou.

O mandatário brasileiro lembrou que, desde a redemocratização, os governos brasileiros se empenharam em prol da integração regional, “baseada em relações marcadas pelo diálogo e pela cooperação”.

Porém, afirmou que a “exceção lamentável” foram nos últimos anos, durante o governo de Jair Bolsonaro (PL) —o país deixou o bloco, que reúne 33 nações latino-americanas e caribenhas, durante a gestão Bolsonaro, mas retornou ao grupo no dia 5 de janeiro deste ano.

'Tentações autoritárias'

Segundo o presidente, “tentações autoritárias desafiam” a democracia da América Latina até hoje. Ele também defendeu união da região, afirmando que “nada deve nos separar”.

Para o mandatário brasileiro, é preciso ter uma estratégia comum de desenvolvimento e que deve “caminhar passo a passo com a redução da desigualdade em suas diversas dimensões, com a garantia de acesso aos direitos fundamentais no campo da educação, da saúde e do trabalho, entre tantos outros.”

Lula e Fernandéz

Lula desembarcou na Argentina no domingo (22). Na segunda (23), ao lado do presidente argentino, Alberto Fernández, o petista prometeu trabalhar para que, ao final do seu mandato, as relações entre Brasil e Argentina sejam as melhores da América Latina.

A declaração foi feita na Casa Rosada, sede do governo argentino, logo após a assinatura de acordos de cooperação entre os dois países.

O presidente também aproveitou para se desculpar pelas declarações feitas por Jair Bolsonaro durante a gestão anterior.

No Twitter, Lula publicou uma foto ao lado do amigo e presidente argentino. Na legenda, o petista afirmou que a Argentina é um “país irmão do Brasil”, e disse que vão trabalhar juntos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.