Na contramão da Saúde, Anvisa deve aprovar doses de reforço da mesma vacina

·1 min de leitura

BRASÍLIA — A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) delibera na tarde desta quarta-feira sobre a inclusão das doses de reforço da Pfizer, da Janssen e da AstraZeneca na bula das vacinas. A tendência é que o órgão regulatório aprove doses de reforço homólogas, isto é, do mesmo imunizante. A decisão final, contudo, é do Ministério da Saúde.

A pasta anunciou na terça-feira da semana passada que estenderá a dose de reforço a todas as pessoas a partir de 18 anos que tenham completado o ciclo de imunização há, no mínimo, cinco meses. A orientação do ministério dá preferência ao reforço com a vacina da Pfizer, independente se a pessoa tiver tomado essa vacina, a CoronaVac ou a da AstraZeneca.

Há uma exceção quanto á Janssen: segundo o anúncio, quem tomou uma dose deverá receber a segunda com, pelo menos, dois meses de intervalo. Só então, cinco meses depois, estaria apto a tomar ro reforço.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos