Na contramão da Saúde, Rio precisa de um milhão de vacinas para aplicar dose de reforço

·1 minuto de leitura
RIO DE JANEIRO, BRAZIL - MAY 26: Public health nurse Ana Maria Basilio prepares to administer a COVID-19 vaccination dose to Roberta Cristina da Cruz at a health post in the Manguinhos favela community on May 26, 2021 in Rio de Janeiro, Brazil. COVID-19 has now killed more than 1 million people in Latin America and the Caribbean, with nearly half of those killed in Brazil. Only three percent of the population of Latin America have been fully vaccinated against COVID-19. Health experts are warning that Brazil should brace for a new surge of COVID-19 amid a slow vaccine rollout and relaxed restrictions. 450,000 people have been killed in Brazil by COVID-19, second only to the U.S.  (Photo by Mario Tama/Getty Images)
Rio de Janeiro vai usar vacinas da AstraZeneca e da Pfizer como doses de reforço (Foto: Mario Tama/Getty Images)
  • Cidade do Rio de Janeiro pretende começar a aplicar dose de reforço da vacina contra a covid-19 em setembro

  • RJ precisa de 1,16 milhão de doses de vacinas Pfizer ou AstraZeneca para vacinar idosos com dose de reforço

  • Determinação vai na contramão da escolha do Ministério da Saúde, que está esperando estudos para comprovar eficácia da dose de reforço

Na última segunda-feira (23), a cidade do Rio de Janeiro anunciou que vai aplicar uma dose de reforço da vacina contra a covid-19 em idosos. Segundo dados revelados pelo portal UOL, seriam 1,16 milhão de pessoas, ou seja, 1,16 milhão de doses extra da vacina.

A vacinação de reforço dessa faixa etária aconteceria ao mesmo tempo em que estão sendo imunizados os adolescentes entre 12 e 17 anos.

Leia também

Apesar do anúncio feito pelo prefeito Eduardo Paes (PSD), a decisão vai no sentido contrário da posição do Ministério da Saúde. Segundo o ministro Marcelo Queiroga, antes de aplicar a dose de reforço em determinados locais, a pasta pretende vacinar toda a população adulta brasileira, o que deve acontecer até outubro.

Na última segunda, Queiroga ainda afirmou que prefere esperar as evidências científicas para pensar sobre a possibilidade de aplicação da dose de reforço.

Quantas pessoas estão vacinadas no Brasil:

  • Vacinados com a primeira dose: 58,65% da população brasileira

  • Vacinados com as duas doses ou dose única: 26,42% da população brasileira

Dose de reforço com AstraZeneca e Pfizer

Segundo o secretário de Saúde da cidade do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, a dose de reforço aplicada será Pfizer ou AstraZeneca, independente de qual vacina foi aplicada nas duas primeiras doses. Mas, o planejamento é a imunização heteróloga, ou seja, com vacinas diferentes.

Para ser elegível para a dose extra, é preciso ter tomado a segunda dose há mais de seis meses. O calendário de aplicação da dose de reforço ainda será divulgado pela secretaria de Saúde do Rio de Janeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos