Na crise, associação inova e passa a oferecer chá da tarde em trem no interior

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 18.11.2017 - A locomotiva a diesel foi restaurada pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) e retornou aos trilhos na rota turística entre Campinas e Jaguariúna. É um modelo de 1960, feito pela GM americana, que ficou em restauro por dois anos (custo total de R$ 200 mil). (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 18.11.2017 - A locomotiva a diesel foi restaurada pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) e retornou aos trilhos na rota turística entre Campinas e Jaguariúna. É um modelo de 1960, feito pela GM americana, que ficou em restauro por dois anos (custo total de R$ 200 mil). (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Para enfrentar a crise decorrente da pandemia da Covid-19, o principal roteiro de trem no interior de São Paulo decidiu lançar um atrativo extra para seus turistas: uma viagem no carro-restaurante com chá da tarde.

A iniciativa na rota entre Campinas e Jaguariúna surge depois de outras viagens gastronômicas que deram resultado positivo, como o oferecimento de café da manhã e do filé Arcesp –este, em ocasiões específicas– aos passageiros.

Os trens que desde a década de 80 percorrem o trajeto de 24 quilômetros entre as duas cidades do interior paulista têm enfrentado dificuldades para fechar as contas mensalmente devido às restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus.

Em uma das paralisações das atividades, foram praticamente sete meses seguidos sem operar e, mesmo nos retornos, o fluxo de turistas tem sido reduzido.

Tesoureiro nacional da ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária), Mauricio Polli disse que as iniciativas tomadas têm como objetivo contribuir com a manutenção das operações, que foram muito prejudicadas desde o início da pandemia, em março do ano passado.

O chá da tarde será oferecido nas viagens aos sábados, dias 5, 12, 19 e 26 de junho, das 15h às 16h50, num roteiro que não vai até a estação de Jaguariúna.

Nessa rota, chamada de meio percurso, o trem parte da estação Anhumas, em Campinas, e segue até a estação Tanquinho, na mesma cidade, onde faz uma pausa de 30 minutos, até iniciar o retorno ao ponto de partida. O serviço é oferecido num carro fabricado na década de 1940 e que foi utilizado na Estrada de Ferro Sorocabana.

O cardápio é composto de chás variados, suco, bolo, petit four, pães e croissants, servido no carro-restaurante. O preço por adulto é de R$ 120. Crianças de 6 a 12 anos pagam R$ 90.

Além do chá da tarde, a ABPF está oferecendo em junho desconto de 50% nos bilhetes convencionais (sem direito ao serviço disponibilizado no carro-restaurante) na rota até Jaguariúna para quem doar um quilo de alimentos não perecíveis.

Crianças de 6 a 12 anos, que já teriam desconto da meia-entrada, pagarão metade do valor. O ingresso inteiro, que custava R$ 160 e já estava em promoção por R$ 120, está sendo vendido por R$ 80, com a doação do alimento. Crianças pagam R$ 40.

Em maio, primeiro mês da campanha, a arrecadação passou de uma tonelada. Os trens estão operando com capacidade reduzida a 40%, com controle de temperatura dos passageiros e com a exigência do uso de máscara e disponibilização de álcool em gel.

O acervo total da associação ferroviária em Campinas é composto por mais de 60 carros de passageiros e locomotivas, incluindo os que estão à espera de reparo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos